COMPARTILHAR

Atenção Viajante!!!

Economize no seu seguro viagem fazendo uma cotação online, que compara as melhores seguradoras do mercado.

»»» Clique aqui e descubra agora quanto você vai precisar investir na sua segurança durante a sua viagem.

PS: Pode apostar que é menos do que você imagina! :)
Bariloche, na Argentina: Sugestão de roteiro para aproveitar o melhor da cidade em cinco dias, independente se sua viagem é durante o verão ou inverno. (Dicas de passeios, atrações e lugares para conhecer durante as suas férias)
Salve esta imagem no seu Pinterest!!!

Apesar de contra intuitivo, engana-se quem pensa que um roteiro de viagem para Bariloche é somente para as férias de inverno. Embora a temporada de neve seja a mais concorrida entre os brasileiros, a cidade também oferece um itinerário e tanto para os viajantes que quiserem conhecê-la durante o verão. Inclusive, os meses mais quentes do ano são os mais disputados entre os argentinos.

Esteja consciente, no entanto, que as atividades da sua programação – assim como os cenários da cidade – serão um pouco diferentes de acordo com clima. Se durante a alta temporada de inverno quem reina são as pistas de esqui e atividades na neve, durante o verão, os dias são muito bem aproveitados nas suas trilhas apaixonantes.

Ainda assim, certos passeios podem ser aproveitados em qualquer época do ano.  E é exatamente isso que você encontrará nesta sugestão de roteiro em Bariloche. Atividades que podem ser desfrutadas tanto durante as suas férias de inverno como também nas de verão.

Leia também: Onde se hospedar em Bariloche | Melhores bairros e hotéis

# Dia 1: Chegada

Ainda que durante os meses de julho e agosto as companhias aéreas Gol, Latam e Azul ofereçam voos diretos entre São Paulo e Bariloche, que duram aproximadamente cinco horas, é quase certo de que você dedicará o primeiro dia do seu roteiro em Bariloche somente para fazer o deslocamento entre sua cidade e o destino argentino.

Caso tenha algumas horas livres, a dica é fazer um reconhecimento de área dos arredores de onde estiver hospedado, bater-perna pelo centro cívico – que é abarrotado de chocolaterias, bares, restaurantes e lojinhas – trocar dinheiro e organizar passeios que você ainda não tenha providenciado.

Para fazer o percurso de 15 quilômetros entre o Aeroporto Internacional Teniente Luis Candelaria e o centro de Bariloche, espere gastar em torno de AR$ 400,00 (R$ 50,00) numa corrida de táxi.

Se quiser economizar, a linha de ônibus 72 também faz esse trajeto por menos de AR$ 30,00 (R$ 3,75). Atente-se, porém, que os horários são espaçados (consulte aqui) e que para utilizar o transporte público na cidade é necessário ter um cartão de passagem. O que você pode fazer, que foi o que eu fiz, é conversar com alguma pessoa que também esteja esperando o ônibus, pedir pra ela te emprestar o cartão e você paga o valor da passagem a ela.

roteiro em Bariloche - Argentina
Centro Cívico de Bariloche

Leia também: 3 roteiros de mochilão pela Argentina

# Dia 2: Circuito Chico

Vale a pena reservar o segundo dia do seu roteiro em Bariloche para o passeio de boas vindas mais tradicional da cidade: o Circuito Chico.

Com saídas em qualquer época do ano e em dois horários diferentes – de manhã e a tarde, já que o passeio dura cerca de 4 horas – diversas agências da cidade oferecem este tour.

O passeio consiste em um recorrido de van com algumas paradas pelas principais paisagens naturais de Bariloche, como por exemplo, o Cerro Campanário, Hotel Llao Llao e outros mirantes ao longo do caminho.

Por ser um passeio clássico, a oferta de saídas é enorme e você pode agenda-lo quando chegar a Bariloche. O tour que inclui o transporte em van e guia (o teleférico do Cerro Campanário é comprado à parte), custa em torno de AR$ 500,00 (R$ 62,50).

Já os mais esportistas podem fazer um passeio alternativo e percorrer o caminho de bicicleta por conta própria. São aproximadamente 27 quilômetros de pedalada com alguns trechos que exigem paradas constantes para tomar fôlego. O visual, no entanto, sempre é recompensador.

Duas empresas com boa reputação que alugam bicicleta em Bariloche são a Circuito Chico Adventure e a Cordillera Bike. Ambas estão na Avenida Exequiel Bustillo, onde inicia a rota do Circuito Chico. Você pode ir até lá de ônibus, alugar sua bicicleta, fazer o circuito durante o dia inteiro, devolve-la no mesmo local e voltar ao centrinho de Bariloche também com o transporte público. O preço do aluguel para todo o dia custa em torno de AR$ 500,00 (R$62,50), e inclui mapa, equipamentos de proteção e todas as instruções para você fazer o percurso adequadamente.

Apesar de cansativo em certos momentos, fazer o caminho de bicicleta é muito gratificante, já que é possível explorar tudo no nosso ritmo, e visitar lugares que o passeio de van não inclui, como por exemplo, algumas prainhas.

Circuito Chico - roteiro em Bariloche
Em algum mirante durante o Circuito Chico

Leia também: Seguro viagem para a Argentina | Dicas indispensáveis

# Dia 3: Cerro Tronador (verão) ou Cerro Catedral (inverno)

O passeio do terceiro dia do seu roteiro em Bariloche deve variar dependendo da época da sua viagem.

Para o verão, o tour ao Cerro Tronador, que fica a aproximadamente 80 quilômetros de Bariloche e dentro do Parque Nacional Nahuel Huapi, é uma ótima pedida. Além do caminho até lá pelas margens dos belíssimos lagos Gutiérrez e Mascardi já render um visual estonteante, as paisagens ficam ainda melhores quando se chega a base do cerro.

O passeio dura o dia inteiro e custa em média AR$ 1.000,00 (R$125,00) + AR$ 300,00 (R$ 37,50) referente à entrada do parque.

Se suas férias for durante o inverno, dedicar o dia inteiro para conhecer o Cerro Catedral é mais adequado. Afinal, localizada a 20 quilômetros do centrinho de Bariloche, esta é a estação de esqui mais concorrida da cidade.

Além do tradicional esqui, outras atividades na neve são oferecidas para viajantes menos experientes, portanto, a diversão é garantida. E, quem estiver com crianças, o Cerro Catedral tem ainda espaços e serviços dedicados unicamente aos pequenos.

O valor da brincadeira vai depender das suas intenções na neve, e o ideal é que você consulte os preços atuais neste site. Já para chegar até lá, a linha de ônibus 55 faz o percurso por menos de AR$ 30,00 (R$ 3,75), transfer compartilhados de agências saem por AR$ 400,00 (R$ 50,00) ida e volta, e táxis/remis por AR$ 450,00 (R$ 56,00) cada perna do percurso.   

Leia também: Bariloche | Dicas práticas para a sua viagem

# Dia 4: Cerro Otto + Isla Victoria e Bosque de Arrayanes

A apenas cinco quilômetros do centro de Bariloche, o Cerro Otto é um passeio conveniente para uma manhã de verão – quando as grandes atrações serão a vista do seu deck panorâmico e a Confeitaria Giratória – ou para um dia inteiro durante o inverno, já que nesta época ele dispõem de uma pequena pista para atividades na neve.

Ficando apenas o período matinal por lá, dá pra combinar o passeio pela Isla Victoria e Bosque de Arrayanes no mesmo dia, já que este é feito numa tarde. Além de navegar pelo Lago Nahuel Huapi, o tour inclui algumas paradas e curtas caminhadas, o que deixa a atividade ainda mais agradável.

O ingresso para o complexo do Cerro Otto custa AR$ 500,00 (R$62,80) e já inclui transporte de ônibus e o teleférico. Já o tour pela Isla Victoria e Bosque de Arrayanes sai por aproximadamente AR$ 1.200,00 (R$ 150,00).

# Dia 5: Regresso

Assim como no primeiro dia do seu roteiro em Bariloche, as atividades derradeiras dependerão do horário do seu voo de volta ao Brasil. Se tiver apenas a manhã livre, talvez seja uma boa ideia dar uma última volta pelo centro cívico e comprar alguns vinhos, chocolates e alfajores.

Voltando apenas à noite, se a viagem for durante o inverno dá pra visitar mais uma estação de esqui ou curtir mais um dia no Cerro Catedral. Porém, é fundamental que você se organize muito bem para não correr nenhum risco de perder o voo.

Pausa numa prainha durante o Circuito Chico de bicicleta

+ Dicas para seu roteiro em Bariloche

» Caso tenha mais dois dias de viagem, você pode incluir no seu roteiro em Bariloche a belíssima Rota dos Sete Lagos, que se inicia em Villa la Angostura – a 80 quilômetros de Bariloche – e vai até San Martin de los Andes.

Um bom itinerário é alugar um carro em Bariloche, fazer o percurso em um dia parando no seu ritmo em todos os lagos, pernoitar em San Martin de los Andes, e regressar a Bariloche no dia seguinte.

Se essa opção não for viável para você, seja por falta de tempo ou por não dirigir, outra alternativa é o passeio bate-volta desde Bariloche. Apesar de cansativo, algumas  agências oferecem este tour por AR$ 1.500,00 (R$ 188,00). Particularmente eu acho que não é a melhor forma de se conhecer os lugares por conta da correria e pouco tempo em cada um deles. No entanto, alguns viajantes acabam gostando do passeio.

» Os preços apresentados neste post são referente a temporada 2018.

» Se você ficou com alguma dúvida ou tem outras dicas para organizar um roteiro em Bariloche, me conta aí nos comentários! 🙂

3 lugares para se hospedar em Bariloche

($) Para os viajantes que procuram um albergue, o  Periko´s Youth  é uma das opções mais bem cotadas da cidade.

($$) Quem faz questão de privacidade, mas não quer gastar uma fortuna, a Hostería La Casita tem um ótimo custo-benefício.

($$$) Na categoria luxo, vale conferir as suítes do  El Casco Art Hotel.

» Se preferir, clique aqui e confira outras ofertas de hospedagem em Bariloche.

COMPARTILHAR
Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here