Se comparado a outros destinos mais populares de Santa Catarina uma viagem a Joinville pode parecer pouco atraente para boa parte dos viajantes. Aliás, eu mesmo só decidi visitá-la porque estaria relativamente próximo de lá – no caso, em Blumenau.

E, de fato: turisticamente falando, na minha opinião, Joinville tem menos a oferecer do que as suas vizinhas. Porém, isso não significa que o passeio não vale a pena – afinal, estamos comentando sobre a maior cidade catarinense, que ostenta um dos maiores índices de qualidade de vida do estado.

Expectativas devidamente alinhadas, outra coisa que você precisa fazer para conseguir aproveitar a sua viagem a Joinville é se organizar corretamente. Isso porque, os atrativos turísticos estão espalhados pelos quatro cantos da cidade, e você provavelmente não conseguirá encontrá-los ao sair perambulando sem rumo.

Portanto, para te ajudar nesta tarefa de planejar os seus dias em Joinville, neste texto eu contarei tudo o que você deve saber antes de sair de casa.

Joinville
Museu de Arte de Joinville, um dos principais pontos turístico da cidade

# Dicas de viagem a Joinville

1- Melhor época para viajar a Joinville

2- Quantos dias ficar?

3- Como chegar e se locomover?

4- Hospedagem em Joinville

5- Pontos turísticos de Joinville

6- Onde comer em Joinville?

1- Melhor época para viajar a Joinville

Diferente de destinos litorâneos onde o clima é um grande fator decisivo para escolher a época de viajar, em Joinville as condições climáticas tem menos importância.

É claro que, via de regra, dias com tempo firme será melhor para aproveitar os passeios – especialmente as atividades ao ar livre. No entanto, um dos motivos de fama de Joinville é ela ser uma cidade onde chove bastante o ano inteiro. Portanto, independente do período da sua viagem, sempre haverá chance de encontrar dias nublados ou com chuva.

Ainda assim, saiba que os aguaceiros são mais intensos de dezembro a março. Nestes meses, o índice pluviométrico fica na média de 200 mm ao mês, sendo que em janeiro costuma beirar os 300 mm.

De abril a novembro as chuvas são bem distribuídas, com uma leve queda durante o inverno. E por falar em inverno, nesta estação a temperatura costuma variar entre 13°C e 22°C.

Por fim, se quiser conciliar sua viagem a Joinville com alguma festa típica da cidade, saiba que os dois eventos mais famosos são o Festival de Dança de Joinville (em julho) e a Festa das Flores (em novembro).

melhor época para viajar a Joinville
Parque do Expoville

2- Quantos dias ficar?

É possível visitar os principais pontos turísticos da área central de Joinville em 48 horas. Porém, se acaso você quiser incluir parques e passeios mais distantes da área central, o ideal é reservar mais um ou dois dias.

Afastado do perímetro urbano de Joinville – cerca de 20 km – você encontrará muitos parques campestres e até mesmo parques aquáticos. É para roteiros que incluem estes tipos de atrações que eu recomendo passar mais de dois dias.

No entanto, tenha em mente que muitos destes lugares estão abertos apenas durante os meses de verão, férias escolares, ou aos finais de semana. Portanto, antes de decidir incluí-los na sua programação, verifique se de fato estarão funcionando.

quantos dias ficar em Joinville
Centreventos Cau Hansen, onde está instalada a Escola do Teatro Bolshoi

3- Como chegar e se locomover?

O Aeroporto de Joinville Lauro Carneiro de Loyola (JOI) se encontra a apenas 13 quilômetros do centro da cidade. Ou seja, se você desembarcar por lá, será bem prático e rápido seguir para o seu hotel.

No entanto, a má notícia é que o Aeroporto de Joinville tem pouca frequência de voos, e, em sua maioria, são para Campinas e São Paulo. Portanto, dependendo de onde seja o seu local de partida, talvez seja mais conveniente chegar a Joinville de outra forma.

Se você pretende alugar um carro ao desembarcar, duas alternativas são utilizar os aeroportos das cidades de Navegantes (83 km) ou Curitiba (120 km).

Além disso, é possível chegar a Joinville de ônibus. Algumas rotas comuns, são:

– Blumenau x Joinville (empresa Catarinense): R$ 45,00, 3hs de viagem.

– Balneário Camboriú x Joinville (empresas Catarinense e Santo Anjo): R$ 45,00, 2hs de viagem.

– Florianópolis x Joinville (empresa Catarinense): R$ 70,00, 4hs de viagem.

– Curitiba x Joinville (empresas Eucatur, Nordeste, Catarinense e Brasil Sul): R$ 45,00, 2hs de viagem.

– Porto Alegre x Joinville (empresas Nordeste, Catarinense e Brasil Sul): R$ 115,00, 10hs de viagem.

– São Paulo x Joinville (empresas Eucatur, Catarinense, Penha e Gadotti): R$ 120,00, 9hs de viagem.

Por fim, para se locomover na cidade, na área central dá para circular muito bem com o transporte público ou com os aplicativos de corrida.

Por outro lado, fora do perímetro urbano o ideal é estar com um carro próprio. Isso porque, além do transporte público limitadíssimo, conseguir chamar um carro através de aplicativos será bastante difícil na hora de voltar.

como chegar em Joinville
Rodoviária de Joinville

4- Hospedagem em Joinville

Via de regra, o melhor bairro para ficar em Joinville é o centro. Até porque, é na área central onde estão os principais hotéis da cidade.

No entanto, saiba que é possível se hospedar em outros cantos, como por exemplo, no bairro América ou pelos arredores do Centro de Convenções e Exposições Expoville.

Em todo caso, mesmo ficando no centro de Joinville você não estará longe destes outros dois bairros. América está a apenas três quilômetros, e o Expoville a seis quilômetros.

Sobre os preços dos lugares para ficar em Joinville, isso vai depender da época da viagem. Embora não seja uma cidade de turismo convencional, há muitos festivais ao longo do ano que atraem milhares de turistas, como por exemplo, o Festival de Dança (em julho) e o Festival das Flores (em novembro).

Em períodos de marasmo dá para encontrar hotéis básicos que cobram a partir de R$ 150,00 na diária de uma suíte para duas pessoas.

Ou, se preferir um hotel quatro estrelas mais clássico, espere gastar em torno de R$ 230,00 por dia.

Por outro lado, durante os eventos mais concorridos um mesmo quarto deve custar pelo menos duas vezes mais caro.

Por fim, tanto para encontrar acomodações como também para reservar a sua hospedagem – em qualquer época do ano – vale a pena ficar de olho nas promoções de hotéis em Joinville através do site Booking.com.

Pousadas em hotéis

Um dos lugares mais econômicos para ficar no centro de Joinville é o Príncipe Hotel. Fazendo a linha bom, bonito e barato, é ideal para quem preza por gastar pouco e não se importa em se hospedar em um local simples.

Outra opção com diária abaixo de R$ 200,00 – com o café da manhã incluído – é o Ibis Joinville. Queridinho de muitos viajantes, o Ibis oferece suítes práticas e bem montadas, atendimento atencioso e um café da manhã que é sempre muito elogiado. Além disso, o Ibis possui estacionamento – que é pago à parte – e permite que os turistas se hospedem com pets.

Localizado a uma quadra do Shopping Mueller, o Alven Palace é outro hotel com excelente custo-benefício para ficar em Joinville. Além de tarifas baixas, surpreende pela organização, suítes enormes e café da manhã caprichado.

Querendo investir em uma acomodação mais estrelada, mas sem precisar gastar uma fortuna, o Comfort Hotel e o Hotel Germânia são duas alternativas que possuem boa reputação na região central. Inclusive, o Germânia é um dos hotéis em Joinville que tem melhor nota de avaliação no Booking.com.

Se você quer ficar perto do Centro de Convenções e Exposições Expoville, o melhor endereço para a sua estada é o Naalt Hotel Joinville – que está localizado a 500 metros do centro de convenções e eventos. Com um estilo clássico-moderno, o Naalt é extremamente confortável, tem limpeza impecável e recebe os viajantes com muita atenção e simpatia.

dicas de viagem a Joinville
O centro de Joinville é a região com maior quantidade de hotéis na cidade

5- Pontos turísticos de Joinville

Os principais pontos turísticos de Joinville estão na área central da cidade ou muito próximos a ela. Inclusive, dá para ir andando entre algumas atrações.

O coração do centro é a Praça Nereu Ramos. Paralela à praça está a Rua Príncipe, onde aos segundos domingos de cada mês é realizada a Feira do Príncipe – que reúne comerciantes de produtos naturais, artesanato, antiguidades e gastronomia.

A apenas uma quadra da Nereu Ramos está a Rua das Palmeiras e o Museu Nacional de Imigração e Colonização. Também a um quarteirão da praça, mas em outra direção, encontra-se a Biblioteca Pública Municipal Prefeito Rolf Colin.

Saindo da biblioteca, basta caminhar por cinco minutos que se chega ao Shopping Mueller – um dos mais movimentados da cidade.

Também no centro está o Mercado Público de Joinville. Apesar de ser mais bonito por fora do que por dentro, é um lugar onde dá para almoçar muito bem gastando pouco.

Em bairros vizinhos ao centro estão outros quatro atrativos que devem estar na sua lista do que fazer em Joinville: o Museu de Arte de Joinville, o Instituto Internacional Juarez Machado, a Escola do Teatro Bolshoi e o Mirante de Joinville no Morro da Boa Vista.

Por outro lado, os pontos turísticos mais afastados do centro (5 km), mas ainda no perímetro urbano, são o Pórtico da cidade e o Parque do Expoville – sendo que ambos ficam lado a lado.

Por fim, para ir além do roteiro clássico em Joinville, outros locais que podem fazer parte da sua programação, são: Parque Municipal Morro do Finder, Parque Natural Municipal da Caieira, Rancho Alegre, Parque Ecológico Caminho das Águas, Parque Aquático Cascata do Piraí, Water Valley e passeio de Barco Príncipe na Baía da Babitonga.

No entanto, para este último bloco de atrações, recomendo pesquisar se são lugares que fazem o seu perfil e o horário de funcionamento atual de cada um deles. Além disso, como são destinos longe o centro, o ideal é que você esteja com um veículo próprio.

pontos turísticos para visitar em Joinville
Plataforma do Mirante de Joinville no Morro da Boa Vista

6- Onde comer em Joinville?

Há bons lugares para comer em Joinville – tanto para almoçar algo rápido e barato, como também para jantar em um ambiente mais elegante ou até mesmo esticar à noite em algum barzinho.

No centro, o Mercado Público de Joinville tem uma simpática área externa com mesinhas ao ar livre que funciona como praça de alimentação. Além de porções, pastéis e sanduíches, há prato-feito por ótimo preço.

No bairro América, a Bakken Gastronomia é uma espécie de cafeteria, mas que também serve refeições, sanduíches, petiscos e chope. Na minha opinião, é um bom lugar para uma hora feliz no final do dia.

Pertinho da Bakken está o Albergue General Store, que é um barzinho ajeitado de perfil jovem, com ótimos hambúrgueres no cardápio e que às vezes tem música ao vivo.

A menos de 500 metros da Escola do Teatro Bolshoi, a Opa Bier Prainha tem um ambiente descontraído, sem paredes (mas com cobertura) e foco em comes e bebes típicos de food-truck. Assim como o Albergue General Store, a Prainha também é um lugar para ir à noite.

Se estiver por esta vizinhança na hora do almoço, a Casa Amarela Choperia e Cozinha é um bom local para a sua refeição do meio-dia.

Por fim, em uma das ruas laterais do Shopping Mueller está um dos melhores endereços gastronômicos de Joinville: a Rua Visconde de Taunay, também conhecida como Via Gastronômica. Nesta rua há uma série de bares e restaurantes que garantem bons comes e bebes para o almoço ou jantar.

onde comer em Joinville
Petisco da Bakken Gastronomia
restaurantes em Joinville
Hambúrguer do Albergue General Store

3 lugares para se hospedar em Joinville

($) Para os viajantes que prezam por economia, o Príncipe Hotel é um dos que oferecem tarifas mais baixas.

($$) Querendo investir em um quatro estrelas com bom custo-benefício, aposte no Comfort Hotel.

($$) Por fim, outro hotel que oferece uma excelente relação preço x conforto é o Hotel Tannenhof.

» Se acaso preferir, clique aqui e confira outras ofertas de hospedagem em Joinville.

Avatar para Anônimo
Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here