Embora existam alguns passeios legais para fazer em Joinville – que é a maior cidade de Santa Catarina – este não é um destino de grande vocação turística.

Inclusive, saí de lá com a sensação de que é um lugar melhor aproveitado pelos moradores do que pelos turistas. O que, claro, é maravilhoso.

Até há alguns pontos turísticos em Joinville que cumprem a missão de preencher um roteiro de dois dias pela área central. No entanto, a impressão que tive é que o mais bacana de lá é curtir – sem muitos planos – o dia a dia deste município que tem aparência de cidade grande e alma de interior.

Fazer um passeio rural em um final de semana de folga, se refrescar em um parque aquático em um domingo de verão, participar das suas tradicionais festividades, ou, passar o dia caminhando em um parque fora da área urbana, são algumas atividades pouco viáveis para a maior parte dos turistas, mas que garantem ótimas experiências em Joinville.

Em todo caso, se seu tempo está curto e a ideia é perambular apenas pelos seus atrativos de acesso mais fácil, neste texto eu te contarei tudo o que dá para fazer em Joinville.

melhores pontos turísticos de Joinville
Pequena galeria comercial que fica no Centro de Convenções e Exposições Expoville

» Clique aqui para encontrar ofertas de hotéis em Joinville

# Dicas do que fazer em Joinville

De modo geral, os turistas que estão de viagem a Joinville concentram a sua programação pela área central da cidade. Afinal, é nesta vizinhança – ou muito próxima a ela – que você encontrará seus principais pontos turísticos.

Além disso, o centro é um dos melhores bairros para ficar em Joinville. Portanto, focando o seu roteiro por estas bandas será possível fazer muita coisa a pé ou utilizando os aplicativos de corrida – sendo que os deslocamentos serão curtos e baratos.

A situação muda de figura para os forasteiros que gostariam de aproveitar mais os arredores da cidade. Isso porque, muitos parques e rotas turísticas ficam afastadas da área urbana de Joinville. Neste caso, o ideal seria se locomover com um veículo próprio.

Não menos importante, vale destacar que alguns atrativos podem funcionar apenas aos finais de semana.

São por essas duas razões que mencionei que, via de regra, os moradores de Joinville conseguem se organizar de forma mais fácil para aproveitar tudo o que há de bom na cidade.

Ainda assim, não entre em pânico, porque as dicas desta lista do que fazer em Joinville podem ser usadas por qualquer turista convencional que pretende passar poucos dias na cidade, quer visitar apenas os pontos turísticos mais centrais e não estará de carro.

1- Mirante de Joinville no Morro da Boa Vista

2- Escola do Teatro Bolshoi

3- Centro de Joinville

4- Museus em Joinville

5- Mercado Público Municipal de Joinville

6- Pórtico da cidade e Parque do Expoville

7- Outros parques em Joinville

1- Mirante de Joinville no Morro da Boa Vista

A melhor vista panorâmica de Joinville está no mirante localizado no Morro da Boa Vista – a 250 metros acima do nível do mar e muito próximo do centro da cidade.

O acesso ao mirante é feito pela Rua Pastor Guilherme Ráu, e o início do caminho começa bem ao lado do Zoobotânico Joinville.

Não é permitido subir de carro até o mirante. Ou seja, você precisa deixá-lo estacionado no início do caminho e seguir adiante a pé ou com os ônibus públicos que fazem a rota. (Os ônibus não estão circulando durante a pandemia, portanto, neste momento, só é possível subir a pé. Aliás, o mirante da plataforma principal também está fechado, só dá para  ter uma vista secundária).

O percurso para chegar ao mirante tem aproximadamente dois quilômetros de subida. Apesar de muitos comentários no site Tripadvisor dizerem que o caminho é extremamente puxado e íngreme, particularmente, eu não achei dos mais cansativos.

É subida, sim, afinal, estamos indo a um mirante. Porém, tem a facilidade de todo o percurso ser asfaltado e protegido por árvores que garantem sombra natural.

Ao chegar ao topo do Morro da Boa Vista há uma espécie de trilha ecológica em meio a Mata Atlântica – bem curtinha, mas você só faz se quiser.

Além disso, há a plataforma que é o mirante propriamente dito. Neste caso, o acesso ao ponto mais alto é feito por uma escadaria, mas também há um elevador que pode ser utilizado por cadeirantes ou pessoas com dificuldade para locomoção.

Aliás, vale destacar: pessoas com deficiência física são autorizadas a subir de carro pela estrada que leva os visitantes até o topo do Morro da Boa Vista.

mirante em Joinville
A plataforma principal do Mirante de Joinville
Morro da Boa Vista em Joinville
Vista de Joinville desde um mirante secundário, na passarela da trilha ecológica

2- Escola do Teatro Bolshoi

Com sede no Centreventos Cau Hansen, a Escola do Teatro Bolshoi Brasil é a única filial do Teatro Bolshoi de Moscou. Portanto, como não poderia deixar de ser, trata-se de um local que atrai atenção de qualquer pessoa que vá a Joinville.

Considerada uma das melhores escolas de balé do mundo, a Escola do Teatro Bolshoi não aterrissou em Joinville sem motivos. Isso porque, a cidade catarinense promove anualmente no mês de julho o seu tradicional Festival de Dança.

Criado no ano de 1983, em 2005 o Festival de Dança de Joinville entrou para o Guinness Book como o maior do planeta em número de participantes.

Se você não estiver na cidade durante a realização do evento, saiba que ao menos poderá fazer uma visita monitorada pela Escola do Teatro Bolshoi. (Durante a pandemia de COVID 19 as visitas monitoradas estão suspensas por tempo indeterminado. Antes de ir, consulte as informações atualizadas no site oficial da escola).

Escola do Teatro Bolshoi de Joinville
Centreventos Cau Hansen, onde fica a sede da Escola do Teatro Bolshoi de Joinville

3- Centro de Joinville

Além de ser uma legítima área de comércios, o centro da cidade também é a região com maior quantidade de hotéis baratos em Joinville. Portanto, muitos viajantes acabam percorrendo as ruas da região.

Para otimizar o seu tempo, nada melhor do que anotar alguns locais para visitar durante as suas andanças.

O coração central de Joinville é a Praça Nereu Ramos. Paralela à praça está a Rua Príncipe, onde aos segundos domingos de cada mês é realizada a Feira do Príncipe – que reúne comerciantes de produtos naturais, artesanato, antiguidades e gastronomia.

A apenas uma quadra da Nereu Ramos está a Rua das Palmeiras e o Museu Nacional de Imigração e Colonização. Também a um quarteirão da praça, mas em outra direção, encontra-se a Biblioteca Pública Municipal Prefeito Rolf Colin.

Saindo da biblioteca, basta caminhar por cinco minutos que se chega ao Shopping Mueller – um dos mais movimentados da cidade.

Por fim, em uma das ruas laterais do Shopping Mueller está um dos melhores endereços gastronômicos de Joinville: a Rua Visconde de Taunay, também conhecida como Via Gastronômica. Nesta rua há uma série de bares e restaurantes que garantem bons comes e bebes para o almoço ou jantar.

roteiro de viagem em Joinville
Praça Nereu Ramos, no centro de Joinville

4- Museus em Joinville

Joinville tem alguns pequenos museus históricos que podem fazer parte da sua programação.

No entanto, antes de ir recomendo que consulte os sites oficiais de cada um deles para verificar se, de fato, estão funcionando – seja devido à pandemia do Coronavírus, ou até mesmo por estar passando por alguma reforma.

Na área central da cidade estão três dos endereços culturais mais visitados: o Museu Nacional de Imigração e Colonização, o Museu de Arte de Joinville e o Instituto Internacional Juarez Machado. Inclusive, estes dois últimos estão localizados a apenas 300 metros um do outro, no bairro América, e a menos de dois quilômetros do centro.

Embora não seja tão procurado pelos turistas, outra opção de museu no centro de Joinville é o Museu Arqueológico de Sambaqui.

Já no bairro Anita Garibaldi, a quatro quilômetros do centro, a Estação da Memória e o Memorial da Bicicleta completam a lista de lugares culturais para conhecer em Joinville.

dicas de museus em Joinville
Museu de Arte de Joinville

5- Mercado Público Municipal

Verdade seja dita: o Mercado Público Municipal de Joinville é mais bonito por fora do que por dentro.

Com arquitetura de estilo enxaimel, quem passa em frente ao mercado fica cheio de expectativas para visitá-lo. Inclusive, foi exatamente isso que aconteceu comigo. No entanto, seu interior não tem muito a oferecer.

Além de poucas lojas, suas instalações poderiam estar mais bem cuidadas, pois, atualmente, passa uma impressão de que está abandonado.

Ainda assim, o passeio até lá vale a pena. Além da bonita fachada externa, ele fica pertinho do centro e tem uma agradável praça de alimentação externa onde dá para comer muito bem gastando pouco.

Mercado Público de Joinville
fachada do Mercado Público Municipal de Joinville
o que fazer em Joinville em 2 dias
Área externa do Mercado Público de Joinville que funciona como uma praça de alimentação

6- Pórtico da cidade e Parque do Expoville

Apesar de me faltar o romantismo necessário para achar este tipo de atração um lugar atraente, um dos pontos turísticos de Joinville é o pórtico de entrada da cidade. E, nesta viagem, abri uma exceção e fui visitar a construção que dá as boas vindas aos visitantes que chegam à maior cidade catarinense.

No entanto, devo admitir que só fui até lá porque a minha intenção era conhecer um local que está bem ao lado do tal pórtico: o Centro de Convenções e Exposições Expoville.

Embora não fosse participar de nenhum evento, o Expoville tem um parque bastante agradável que rende um ótimo passeio de fim de tarde ou aos finais de semana.

Além do próprio parque, aproveite para conhecer o pequeno conjunto de lojinhas que há lá dentro.

Por fim, você pode encerrar o seu passeio comendo e bebendo na varanda do Restaurante e Cervejaria GutBrau Expoville. Que, por sinal, oferece uma bonita vista para o parque.

Pórtico de Joinville
Pórtico de Joinville
Expoville Joinville
Parque do Expoville

7- Outros parques em Joinville

Além dos parques mais centrais que já foram indicados, Joinville possui muitas outras áreas verdes que proporcionam mais contato com a natureza. No entanto, costumam ficar mais afastadas do burburinho turístico.

O Parque Municipal Morro do Finder e o Parque Natural Municipal da Caieira estão localizados a 6 e a 10 quilômetros do centro, respectivamente. Embora a distância não seja tão grande, quem depende de Uber pode ter dificuldades para conseguir um veículo na hora de voltar.

Ambos são boas opções para quem curte trilhas e caminhadas, porém, praticamente não possuem estrutura turística.

Já na categoria de turismo rural, a região do bairro Vila Nova – 20 quilômetros do centro – destaca-se por ter diversos parques naturais e até mesmo parques aquáticos. O contraponto é que muitos lugares podem funcionar apenas durante o verão ou aos finais de semana, portanto, sempre verifique isso antes de sair de casa.

Na Estrada Piraí, o Rancho Alegre e o Parque Ecológico Caminho das Águas são dois dos mais famosos devido ao ambiente familiar.

Outro lugar que está localizado na mesma estrada é o Parque Aquático Cascata do Piraí. Neste caso, porém, a diversão é dentro d’água.

Além do Cascata Piraí, outro parque desta categoria que faz sucesso nos meses mais quentes do ano é o Water Valley.

Mudando as coordenadas do GPS para outra direção, mais uma rota turística de Joinville que possui enorme contato com a natureza e bons restaurantes ao longo do caminho é a Estrada Bonita.

parques em Joinville - dicas
O pequenino Parque das Orquídeas Adalberto Schmalz, que fica pouco antes do início do caminho para o mirante da cidade

# O que fazer em Joinville à noite?

Não há grandes mistérios sobre o que fazer em Joinville à noite. Como não ostenta um espírito festeiro, o melhor plano para depois que o sol se por é curtir os restaurantes, bares e cervejarias da cidade.

No bairro América, a Bakken Gastronomia é uma espécie de cafeteria, mas que também serve refeições, sanduíches, petiscos e chope. Na minha opinião, é um bom lugar para uma hora feliz no final do dia.

Para estender até mais tarde na mesma vizinhança, o Albergue General Store é um barzinho ajeitado de perfil jovem, com ótimos hambúrgueres no cardápio e que às vezes tem música ao vivo.

A menos de 500 metros da Escola do Teatro Bolshoi, a Opa Bier Prainha tem um ambiente descontraído, sem paredes (mas com cobertura) e foco em comes e bebes típicos de food-truck.

Pertinho do centro e da Via Gastronômica, o Clover Pub é um ótimo local para quem curte um ambiente ao melhor estilo pub europeu.

Além, de claro, na própria Via Gastronômica há muitas outras opções de bares e restaurantes para aproveitar a noite em Joinville.

o que fazer em Joinville à noite - dicas
Petisco da Bakken Gastronomia

# O que fazer em Joinville com chuva?

Na hora de organizar o seu roteiro de viagem é preciso ter preparada uma lista de coisas para fazer em Joinville com chuva. Afinal, a cidade tem clima úmido durante o ano inteiro.

Mesmo nos meses mais secos – entre maio e agosto – o índice pluviométrico fica na faixa de 100 mm ao mês. E, durante o verão, que é a época de chuvas mais intensas, o volume pode chegar 300 mm.

Portanto, se você conseguir a proeza de pegar o clima em Joinville apenas nublado se considere uma pessoa de sorte.

Como os passeios ao ar livre certamente ficarão prejudicados em caso de aguaceiros, a solução é apostar nas atrações fechadas.

Visitar os museus da cidade que já foram indicados no texto, por exemplo, é um bom plano para esses em que o tempo não ajudar.

No centro, outro local para escapar da chuva é o Shopping Mueller.

Além disso, vale a pena consultar a programação de espetáculos da Escola do Teatro Bolshoi e do Teatro Juarez Machado. Ou ainda, a agenda cultural do Sesc Joinville.

Por fim, aproveite para fazer um roteiro gastronômico pelos restaurantes, cervejarias e cafeterias da cidade.

# Roteiro de 2 dias em Joinville

Deixarei a seguir uma sugestão do que fazer em Joinville em dois dias. Tenha em mente, porém, que essa é apenas uma distribuição dos pontos turísticos mais centrais que foram indicados ao longo do texto.

Para visitar os parques e locais mais afastados, o ideal é que você vá com mais tempo para a sua viagem.

No mais, sinta-se à vontade para retirar do roteiro àqueles atrativos que parecem não fazer o seu gosto, e acrescentar outros que tenham mais o seu estilo.

» Dia 1: Centro de Joinville, Mercado Público e museus.

» Dia 2: Escola do Teatro Bolshoi, Mirante de Joinville no Morro da Boa Vista, pórtico da cidade e Parque do Expoville.

+ Dicas do que fazer em Joinville

» Além do Festival de Dança, outro evento de Joinville que pode deixar o seu roteiro ainda mais especial é a Festa das Flores, que acontece sempre no mês de novembro.

» Mais um passeio em Joinville que pode agradar adultos e crianças é a navegação a bordo do Barco Príncipe, na Baía da Babitonga.

Além de navegar entre diversas ilhas da região, o tour inclui parada no centro histórico de São Francisco do Sul e almoço.

Este é um passeio que dura o dia todo – normalmente das 10hs às 15h30 – e custa R$ 100,00 por pessoa, sendo que crianças até 5 anos não pagam, e com idade entre 6 e 12 pagam metade.

O embarque acontece no píer do bairro Espinheiros, aproximadamente 10 quilômetros do centro de Joinville.

Para consultar as datas de saída ou reservar o passeio entre contato diretamente como pessoal do Barco Príncipe.

3 lugares para se hospedar em Joinville

($) Para os viajantes que prezam por economia, o Príncipe Hotel é um dos que oferecem tarifas mais baixas.

($$) Querendo investir em um quatro estrelas com bom custo-benefício, aposte no Comfort Hotel.

($$) Por fim, outro hotel que oferece uma excelente relação preço x conforto é o Hotel Tannenhof.

» Se acaso preferir, clique aqui e confira outras ofertas de hospedagem em Joinville.

Avatar para Anônimo
Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

2 COMENTÁRIOS

  1. Visitei Joinville por 3 anos consecutivos no mês de janeiro 2019 ficamos 20 dias, 2020 22 dias e 2021 30 dias.
    Visitamos e conhecemos praticamente tudo que você citou.
    De Joinville fomos a São Francisco, Penha, Jaraguá. Na segunda viagem fomos a Florianópolis e Curitiba. Na terceira fomos a Curitiba, Massaranduba e Brusque.
    Amo Joinville e penso em mudar para lá.
    Gostei do seu texto descritivo!

    • Oi, Lúcia, tudo bem?

      Que bacana. Já conhece bastante a região, hein?!

      Estive na cidade pela primeira vez este ano, então meu roteiro foi mais na área urbana mesmo.

      Adorei suas dicas! Anotadas para a próxima oportunidade.

      Fico feliz em saber que gostou do texto!

      Abraço

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here