Se fosse uma pessoa, a capital do estado de Sergipe seria uma introvertida de carteirinha. E digo isso com experiência de causa, de quem reconhece seus pares iguais a metros de distância. Contida e sem fazer o estardalhaço das suas vizinhas mais exibicionistas – Salvador e Maceió – quem quer aproveitar os passeios que há para fazer em Aracaju precisa dar o primeiro passo.

Aliás, mais do que isso: necessita dedicar tempo para que ela enfim comece a mostrar a sua personalidade. Eu sei, pode ser tedioso. E talvez, seja justamente por isso que Aracaju não é uma unanimidade entre os viajantes.

Os forasteiros mais eufóricos, por exemplo, podem rapidamente se cansarem desta falta de manejo social. “Foi um prazer conhecê-la!”, dizem da boca para fora ao se despedirem. Porém, já com a certeza de que não voltarão a ter um segundo encontro.

Aracaju, por sua vez, parece entender muito bem que não faz o tipo arrasa-quarteirão e não guarda ressentimentos. Pelo contrário: está sempre de braços abertos para os novos turistas que finalmente decidiram puxar conversa com ela.

Afinal, desta vez pode ser um daqueles que saem realmente apaixonados pelos seus passeios, praias e pontos turísticos. Quem sabe até, não seja um daqueles românticos que antes mesmo de ir embora já não veem a hora de se encontrarem de novo.

o que fazer em Aracaju em 5 dias
Letreiro na orla da Praia de Atalaia

Quantos dias ficar em Aracaju?

O tempo ideal para cumprir os melhores passeios em Aracaju é de cinco dias. Ou seja, considerando os dias de ida e volta que serão parcialmente perdidos com deslocamentos, seria conveniente ter uma semana para as andanças.

Ainda assim, dá para fazer uma bela viagem a Aracaju com menos tempo. Com três dias livres para os passeios – portanto, cinco dias no total – é possível organizar um roteiro quase completo. Não caberão todas as praias e tours da capital sergipana, porém, já é um belo cartão de visitas.

quantos dias ficar em Aracaju?
Orla do pôr do sol

» Clique aqui para encontrar ofertas de pousadas em Aracaju

Como fazer os passeios em Aracaju?

Alguns dos melhores passeios para fazer em Aracaju são para destinos afastados da área urbana da cidade, podendo atravessar limites municipais e até mesmo estaduais. Nestes casos, o jeito mais conveniente para conhecer o destino é se juntando aos tours guiados oferecidos por receptivos turísticos.

Além de cuidarem do deslocamento terrestre, as agências já incluem possíveis travessias de barco que podem ser necessárias. Outras comodidades é que você não precisará pegar no volante, terá acompanhamento de um guia de turismo e será buscado e deixado em seu hotel.

A dinâmica destes passeios em Aracaju já é muito bem estabelecida e há diversas agências que operam as mesmas rotas a preços muito semelhantes. No meu caso, contratei os meus tours com as empresas Top Tour e Easy Travel Shop, e tudo ocorreu conforme o combinado.

Além disso, você também pode incluir no seu roteiro algumas praias e pontos turísticos de Aracaju que estão localizados na área urbana da cidade. Para visitar estas atrações, dá para ir por conta própria utilizando o serviço de transporte por aplicativo. Sempre que precisei me locomover desta forma era bastante rápido para conseguir um motorista e os preços das corridas eram bem em conta.

Por fim, confira a seguir quais são os melhores passeios para fazer em Aracaju:

1- Pontos turísticos de Aracaju
2- Orla de Atalaia
3- Ilha dos Namorados e Croa do Goré
4- Praias de Aracaju
5- Bate-volta para Mangue Seco
6- Passeio aos Cânions do Xingó
7- Lago dos Tambaquis

pontos turísticos de Aracaju
O Largo da Gente Sergipana, em frente ao museu de mesmo nome, é um dos pontos turísticos de Aracaju

1- Pontos turísticos de Aracaju

Há uma série de pontos turísticos em Aracaju que ajudam a preencher um roteiro além do mar. Apesar de serem coadjuvantes da viagem, são atrações que podem ser visitadas nos seus dias de chegada ou partida, quando já for inviável fazer um passeio de dia inteiro.

Ainda assim, se o seu tempo estiver curto, tenha em mente que você não precisa visitar todos os atrativos. Até porque, muitos deles não são assim tão imperdíveis – ao menos para o meu gosto. Inclusive, de todos estes pontos turísticos que conheci, o único que realmente fez valer a programação foi o Museu da Gente Sergipana.

Localizado na orla do Rio Sergipe e próximo ao centro da cidade, este museu, que está instalado em um belíssimo prédio histórico, apresenta diversos aspectos da cultura do estado. Distribuída em oito salas temáticas, a exposição permanente conduz os visitantes a cenários que simulam de feira livre a ecossistemas naturais da região. Sem deixar de fora, é claro, elementos importantes como festas, linguagem e culinária.

Se acaso sobrar tempo depois da visita ao museu, há outros pontos turísticos em Aracaju que estão por perto. É o famoso “Já que estamos aqui, por que não ir até lá?”. Porém, se for, vá sem grandes expectativas.

Caminhando 10 minutos em direção ao centro se chega à Catedral Metropolitana de Aracaju, ao Museu do Artesanato de Sergipe e ao Palácio Museu Olímpio Campos. E, com mais 15 minutos de pernada pela avenida à beira-rio, você estará no Mercado Municipal Antônio Franco.

Por fim, há ainda o famoso Parque da Cidade – afastado demais para ir a pé – que entrega passeio de teleférico, vistas semi panorâmicas e caminhadas em meio ao verde. Porém, para mim, foi mais bacana visitar o Parque da Sementeira que, aliás, está até mais próximo do eixo-turístico da cidade.

dicas do que fazer em Aracaju
O Museu da Gente Sergipana é uma das atrações que devem estar na sua lista do que fazer em Aracaju

2- Orla de Atalaia

A Praia de Atalaia é a principal praia da cidade. E, mais até do que o mar propriamente dito, a sua atração é a orla. Até porque, é neste bairro onde está a estrutura turística para os visitantes.

Além da maior parte dos hotéis e pousadas em Aracaju se concentrar por estas bandas, por aqui também há ótima oferta de bares, restaurantes, agências de passeios e comércios em geral. Ou seja, mesmo que você não a inclua como atração da sua lista do que fazer na capital de Sergipe, é provável que você vá bater perna por lá em algum momento.

O trecho de mais movimento na orla de Atalaia é na altura da Passarela do Caranguejo – que não se trata de uma passarela convencional. No caso, é apenas a denominação deste espaço da avenida com mais opções de bares e restaurantes. E, para identifica-la, há uma grande escultura de caranguejo no canteiro central da via.

Do outro lado da avenida de onde está a fileira de comércios se encontra o calçadão à beira-faixa-de-areia. Embora o mar esteja lá longe, é uma boa pedida para caminhadas. Um bom plano, inclusive, é sair da Passarela do Caranguejo, caminhar até os Arcos da Orla – onde está o letreiro da cidade – e seguir andando até ao Projeto Tamar.

Por fim, deixo três dicas de hotéis na orla de Atalaia para você se hospedar: Ibis Budget Aracaju, Celi Hotel Aracaju e VIDAM Aracaju.

orla de Atalaia Aracaju
A Passarela do Caranguejo é um dos trechos da Orla de Atalaia
Praia de Atalaia Aracaju
Praia de Atalaia

3- Ilha dos Namorados e Croa do Goré

No meio do Rio Vaza-Barris, já próximo do local onde ele encontra o mar, estes dois bancos de areia compõem o roteiro do passeio mais popular para fazer em Aracaju durante os períodos de maré baixa. Portanto, se você gosta de se banhar em lugares sem onda, é uma boa atividade para a sua programação.

O local de embarque para a navegação é na Orla do Pôr do Sol, que está a 20 quilômetros de Atalaia. Por isso, além dos deslocamentos de lancha ou escuna, as agências de passeios também incluem no tour o transporte terrestre até lá.

Basicamente, o roteiro deste passeio, é: buscar os viajantes no hotel, seguir à Orla do Pôr Sol, passar um tempo em um dos bancos de areia e o restante do dia em outro. Como essa atividade depende do horário da maré baixa, a ordem das visitas e quanto tempo será em cada local varia de acordo com as condições naturais.

Além disso, saiba que também há mais de um modelo de passeio. Dá para ir de escuna, de lancha, apenas para a Ilha dos Namorados, apenas para a Croa do Goré, para ambos os lugares, ou ainda, incluir uma terceira parada no Prainha Bar para acompanhar o pôr do sol.

Por fim, saiba que este é um passeio que dura o dia inteiro, o preço varia entre R$ 100,00 e R$ 180,00 por pessoa (dependendo do modelo do barco e do roteiro), e a estrutura de barracas nos locais é bastante básica – afinal, são bancos de areia que desaparecem durante a maré alta. Ou seja, toda a parte de mesas, cadeiras, guarda-sol e mantimentos, são levados e retirados de lá diariamente.

passeios para fazer em Aracaju
Croa do Goré

4- Praias de Aracaju

As praias urbanas de Aracaju estão distribuídas em uma única faixa de areia com 22 quilômetros. Portanto, apesar de haver mudanças quanto à estrutura de cada bairro, em termos de paisagem natural não há muita variação. Em toda a sua extensão você encontrará um larguíssimo tapete de areia plano e sem recortes – com o mar lá distante da orla, raso e com poucas ondas – além de água mais escuras do que o padrão Nordeste de ser.

Um dos trechos mais movimentados é justamente a Praia de Atalaia. Porém, na minha opinião, há outras mais bacanas para o seu dia à toa de frente para o mar. Por conta da proximidade dos hotéis, Atalaia costuma estar muito cheia – apesar de provavelmente caber toda a população da cidade naquela faixa de areia – e tem apenas barracas móveis.

Indo para o norte, a Praia dos Artistas oferece quiosques mais robustos com cardápios mais recheados com tira-gostos e refeições completas. Quando estive lá fiquei na barraca Ondas’s Bar & Restaurante e gostei bastante.

Para o sul, vizinha à Atalaia, a Praia de Aruana é quem ostenta os melhores bares e restaurantes na faixa de areia. Além de quiosques mais básicos, também há restaurantes mais enfeitados e com música ao vivo, como por exemplo, os animados Mar da Espanha e Âncora Beach.

Além disso, as barracas na Praia de Aruana estão a uma distância mais curta do mar. Portanto, facilita bastante para os viajantes que gostam de ir mergulhar a todo instante.

o que fazer em Aracaju praias
Praia de Aruana

5- Bate-volta para Mangue Seco

Um dos passeios mais procurados para fazer em Aracaju tem como destino uma praia que está na…Bahia. Porém, isso é compreensível, afinal, o vilarejo de Mangue Seco está situado bem na divisa dos dois estados, e é mais rápido chegar lá saindo da capital sergipana do que da baiana.

Esclarecimentos dados, o fato é que o passeio para Mangue Seco é o mais bacana para quem quer curtir uma praia sossegada, com zero urbanização e rodeada de enormes dunas de areia. Aliás, é este cenário que foi eternizado nas páginas de Jorge Amado no romance Tieta do Agreste. Posteriormente, cenas da novela Tieta – produzida e exibida pela Rede Globo entre os anos de 1989 e 1990 – também foram gravadas aqui.

A primeira etapa do passeio de Aracaju para Mangue Seco é feito pela estrada: 70 quilômetros percorridos em aproximadamente 1h30. Em seguida, é preciso pegar uma lancha para atravessar o Rio Real e chegar ao vilarejo. Por fim, ainda é necessário fazer um deslocamento de buggy para encarar as dunas de areia para finalmente chegar próximo do mar.

Depois da jornada até lá que por si só já é um passeio à parte, os viajantes passam o dia em uma praia praticamente deserta – mas que tem lugar para sombra, comes e bebes. Ao voltar para o vilarejo e antes de pegar a lancha de volta, ainda há um tempinho para circular pela pacata vila.

O preço do passeio para Mangue Seco gira em torno de R$ 140,00 por pessoa. Além disso, também é necessário pagar o buugy à parte quando chegar à vila. O valor do buggy é de R$ 200,00 e pode ser dividido em até quatro passageiros.

melhores passeios em Aracaju
Praia de Mangue Seco

6- Passeio aos Cânions do Xingó

Provavelmente a grande estrela de uma viagem a Aracaju, os Cânions do Xingó estão a 215 quilômetros da capital de Sergipe, mais especificamente às margens do munícipio de Canindé de São Francisco. É a partir daqui onde se inicia uma navegação pelo majestoso Rio São Francisco para, enfim, termos a oportunidade de cruzar de barco entre os seus paredões avermelhados e nos banharmos em suas águas.

Apesar deste passeio bate-volta ser extremamente cansativo, é o tipo de experiência em que no final do dia você tem a certeza de que valeu a pena. E, ainda que você ache que não valeu, ficará tentando se convencer do contrário até conseguir, nem que seja para se reconfortar.

Particularmente, não sei se faria de novo o passeio neste esquema bate-volta. É provável que optaria em passar uma ou duas noites em Canindé ou Piranhas – esta última, trata-se da cidade às margens do Rio São Francisco do lado de Alagoas. Porém, para a maior parte dos viajantes o mais conveniente será fazer o tour desta maneira, afinal, nem sempre temos tempo para dividir a estada em dois lugares.

Basicamente, o roteiro do passeio é o seguinte:

– Saída de Aracaju por volta das 6h.

– Quatro horas na estrada para chegar a Canindé de São Francisco.

– Uma hora de navegação pelo Rio São Francisco para chegar à parte dos cânions.

– Uma hora livre para nadar no rio e fazer um passeio de canoa entre os cânions.

– Mais uma hora de navegação para voltar à terra firme.

– Almoço, normalmente entre 13h30 e 15h30.

– Mais quatro horas na estrada para voltar a Aracaju.

Sobre o preço do passeio de Aracaju para os Cânions do Xingó, custa em torno de R$ 260,00 por pessoa, com o transporte terrestre e de barco incluídos no valor. O almoço é pago à parte.

o que fazer em Sergipe
Cânions do Xingó

7- Lago dos Tambaquis

Se você ficou cansado só de ler o que te espera pelo passeio aos Cânions do Xingó, fique tranquilo. Afinal, depois dele você poderá passar um dia relaxante no Lago dos Tambaquis, que está localizado a apenas 50 quilômetros de Aracaju.

Porém, atenção: contrate o passeio exclusivo para lá, e não os que incluem apenas uma parada de 30 minutos durante o tour à Praia do Saco.

Além de ficar de boa na lagoa, no Restaurante Lago dos Tambaquis (Matriz) há uma baita estrutura com restaurante, piscina, toboáguas e outros espaços de lazer. Aliás, este também é um excelente passeio para os viajantes que procuram por o que fazer em Aracaju com crianças.

O tour para o Lago dos Tambaquis custa R$ 80,00 por pessoa. Além disso, também há uma taxa de day use de R$ 30,00 (segunda a quinta-feira) ou R$ 40,00 (sextas, sábados, domingos  e feriados) – pagamento apenas em PIX ou dinheiro.

O que fazer em Aracaju à noite?

A capital de Sergipe não é dada a uma vida noturna intensa. Portanto, na minha opinião, o melhor a se fazer em Aracaju à noite é aceitar essa realidade e focar seus passeios à bares e restaurantes próximos de onde você estiver hospedado. E, ao menos neste quesito gastronômico, você não terá do reclamar.

A região mais movimentada à noite em Aracaju é a orla de Atalaia até a altura da Praia dos Artistas. Outros bairros até oferecem alguns bons conjuntos com meia dúzia de bares e restaurantes, porém, não acho que a relação custo-benefício para ir até outra vizinhança seja assim tão compensadora.

 Na Praia de Atalaia os principais bares e restaurantes estão situados no trecho de orla conhecido como Passarela do Caranguejo. E, na altura da Praia dos Artistas – que é a continuação na mesma avenida à beira-mar – o maior vai e vem é pelos arredores da Feira do Turista.

O restaurante turístico mais famoso da cidade é o Cariri. Além de pratos regionais e decoração temática, shows de forró garantem a diversão da noite. Se acaso você preferir um barzinho mais convencional, ao lado dele está o sempre animado Laguna.

Seguindo pela avenida em direção à Passarela do Caranguejo, boas opções que surgem são a Churrascada Salt, o Porto Madero e o Terra Tupi. Mais adiante, mas a uma quadra da orla, está o diversificado Carrara Food Park.

Para quem quer provar frutos do mar, o restaurante mais tradicional da vizinhança é o Pitú com Pirão da Eliane – que está localizado entre a Passarela do Caranguejo e a Feira do Turista. Aliás, a própria feirinha também é um dos lugares mais movimentados para passear à noite em Aracaju.

Por fim, se quiser trocar de ares e sair da orla, aposte na Carne do Sol do Ramiro ou no Mangará – ambos próximos ao Calçadão da Formosa, a cinco quilômetros de Atalaia.

o que fazer em Aracaju à noite
Sair para comer e beber é o melhor programa para fazer em Aracaju à noite [Prato executivo para uma pessoa do Restaurante Carne do Sol do Ramiro]

O que fazer em Aracaju com chuva?

No que diz a respeito de passeios em ambientes fechados, não há muito o que fazer em Aracaju com chuva. Em caso de aguaceiros, uma possível solução é focar as andanças pelas atrações citadas no tópico um e dedicar mais tempo aos roteiros gastronômicos. Ainda assim, a boa notícia é que as condições climáticas não costumam ser estraga férias.

De modo geral, o clima em Aracaju favorece os passeios de praia entre setembro e março – que é a época mais seca do ano. Além disso, em agosto e abril – meses de transição – a viagem continua sendo bastante produtiva. Até pode chover, porém, costuma ser algo passageiro sem causar prejuízos significativos aos passeios.

O período mais chuvoso em Aracaju e que você deveria evitar é entre maio e julho, que é quando os índices pluviométricos estão sempre acima de 150 mm ao mês. Embora não chova dia-e noite-noite-e-dia, esticar a canga na areia será mais penoso.

 Ainda assim, mesmo com chuvas, junho é o único mês em que seu roteiro pode ter um brilho especial a ponto de você ignorar o clima instável: as Festas de São João. Portanto, se você só pode viajar nesta época, providencie uma capa de chuva, coloque um pacotinho extra de sorte na bagagem e aproveite.

Além disso, nestes meses de chuvas mais frequente você pode priorizar os passeios para destinos fora litoral, como por exemplo, aos Cânions do Xingó e outras rotas pelo sertão.

o que fazer em Aracaju com chuva?
Museu da Gente Sergipana

O que fazer em Aracaju em 5 dias?

Deixarei a seguir uma sugestão de passeios para fazer em Aracaju em 5 dias. Ou seja, considerando os dias de ida e volta, você precisará de sete dias para cumprir essa programação indicada.

Porém, se você dispuser de menos dias, basta utilizar as sugestões de passeios que achar que tem mais a ver com os seus gostos. Inclusive, mesmo que você viaje por uma semana o ideal é que você faça uma seleção daqueles passeios que tenham o seu perfil.

» Primeiro dia: Chegada, check-in na pousada e se der tempo ir ao Museu da Gente Sergipana e ao Parque Sementeria.

» Segundo dia: Passeio bate-volta a Mangue Seco.

» Terceiro dia: Passeio Ilha dos Namorados + Croa do Goré + Orla do Pôr do Sol.

» Quarto dia: Bate-volta aos Cânions do Xingó.

» Quinto dia: Orla de Atalaia + restante do dia em praia urbana de Aracaju.

Caso já tenha perambulado pela Praia de Atalaia nos outros dias, vá direto à Praia de Aruana, que é a que oferece melhor estrutura de quiosque para passar o dia.

» Sexto dia: Passeio para passar o dia inteiro na Lagoa dos Tambaquis.

» Sétimo dia: Regresso.

3 lugares para se hospedar em Aracaju

($) Para os viajantes que querem economizar, a Pousada Raio de Sol é uma das mais em conta da cidade.

($$) Preferindo uma estada em hotel mais convencional, o Celi Hotel Aracaju tem excelente custo-benefício.

($$$) Para uma estada mais especial, o VIDAM Aracaju é uma escolha certeira.

» Se acaso preferir, clique aqui e confira outras ofertas de hospedagem em Aracaju.

Avatar para Anônimo
Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here