Bolívia
Lago Titicaca

Nunca havia passado pela minha cabeça conhecer a Bolívia. Sabia muito pouco sobre o lugar,  apenas o que as grandes mídias nos mostram: que era um lugar com muita pobreza, pouca segurança e que lá existe um tal de “Mal de Altitude”, que faz com que os jogadores de futebol não tenham o mesmo desempenho que de costume, e antes que você fale que isso é balela, ele de fato existe. Sim, na Bolívia realmente há tudo isso. Porém, atribuir somente essas características negativas ao país é um grande erro e deixa- lo de visitar por causa disso pode ser um erro maior ainda.

A Bolívia costuma ficar na memória dos viajantes que se aventuram pelo país, dificilmente você sairá de lá sem ama-la ou odiá-la. Motivos não faltam para você visitar o país nas suas próximas férias: é o país mais barato para se mochilar pela América do Sul, possui uma cultura marcante e paisagens que nos fazem acreditar que não estamos no mesmo lugar mostrado pelos telejornais.      

Principais Cidades

Meu roteiro pela Bolívia começou em Puerto Quijarro. A cidade boliviana que faz fronteira com Corumbá/ MS, é a porta de entrada dos que querem percorrer os trilhos do “Trem da Morte”. Segui até Santa Cruz de La Sierra (maior cidade boliviana) e depois La Paz e Copacabana foram os meus destinos em solo boliviano. Além dessas cidades, há muitas outras que não visitei mas que são muito recomendadas como Sucre, Oruru, Salar de Yuni, Potosí.

Bolívia
Santa Cruz de la Sierra – maior cidade boliviana

Quando Ir

A altitude é um fator que influência diretamente no clima de um determinado local. Algumas regiões bolivianas estão localizadas a mais de 4.000 metros altitude. Nessas condições as temperaturas normalmente não são  muito elevadas e durante a noite elas costumam cair um pouco mais. De uma maneira geral os meses ideais para viajar pela Bolívia são de Maio a Setembro, ou seja, durante o inverno. Apesar das temperaturas serem bastante baixas, é uma época com pouca chuva e com dias claros e ensolarados.    

Visto e Vacinas

Não é necessário visto nem passaporte para entrar no país, apenas carteira de identidade atual e em bom estado. É obrigatório ter tomado a vacina contra febre amarela e comprová-la através do Certificado Internacional Contra Febre Amarela.

Dinheiro

O peso boliviano é muito desvalorizado. Quando estive no país em 2011, R$ 1,00 valiam quatro bolivianos. Em La Paz há várias casas de cambio e não há dificuldade alguma em trocar seus dólares ou até mesmo reais. Em outras cidades turisticas também é possível trocar seu dinheiro, porém a cotação não é tão boa quanto em La Paz. Cartão de crédito não é muito comum por lá, por isso sempre tenha dinheiro em espécie.

Bolívia
Downhill na “Estrada da Morte” – La Paz

Comida

Há de todos os tipos, preços e sabores. Não é caro comer na Bolívia, porém se quiser comer o que está acostumado, pagará um pouco mais por isso. O mais comum é encontrarmos pratos a base de milho, frango (pollo) e batatas (papas). Na região do Lago Titicaca o forte são as trutas, que além de serem muito boas também são baratas.

A folha de coca é regularmente mascada pelos bolivianos. Eu preferi o chá, pois além de não ser amargo ajuda na aclimatização da altitude.

Algumas dicas importantes para não ter problemas de saúde são: de preferencia a alimentos cozidos e assados, já que nem sempre são preparados com a higiene que estamos acostumados. Tome somente água mineral e verifique se a garrafa está realmente lacrada. Evite também sucos naturais, pois há grandes chances dele ser preparado com água da torneira.

Bolívia
La Paz

Gastos Básicos

Muitos viajantes são atraídos pela Bolívia devido ao seu baixo custo para viajar se comparado aos países vizinhos. Eu mesmo fui um deles. Consegui me manter muito bem gastando cerca de U$ 30,00 / dia, considerando hospedagem, alimentação, transporte dentro das cidades e algumas cervejas. Era possível economizar ainda mais, pois sempre comia em restaurantes e utilizei muito táxi quando estive em La Paz. Ah, não tenha vergonha de pechinchar. Isso é algo que realmente funciona na Bolívia, principalmente em hostels e agências para fechar algum passeio.

Em La Paz fiquei hospedado em um hotel no centro da cidade que custou R$ 50,00 / dia o quarto duplo (R$ 25,00/pessoa)  com café da manhã incluso. Em Copacabana o mesmo quarto duplo custou R$ 20,00 / dia (R$ 10,00/pessoa) e por incrível que pareça com café da manhã.

 

Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

4 COMENTÁRIOS

  1. Olá, td bem? Gostei do seu post.
    Você poderia dizer onde se hospedou em La Paz e em Copacabana? Quais agências contratou para os passeios que fez e quanto pagou? O deslocamento entre La Paz e Copa por qual empresa de Bus fez ee quanto foi o custo?
    Grato
    Marcelo

  2. * Para evitar comentários spans (falsos), solicitamos que ao deixar sua mensagem você também preencha um campo com seu nome e e-mail.
    Mas não se preocupe, pois estas informações estão seguras e seu e-mail não será exibido e nem compartilhado com outras pessoas!
    Para mais informações clique aqui para ler a nossa Política de Privacidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here