COMPARTILHAR

Seguro viagem com desconto

Seu cupom: VOLTOLOGO5

»»» Leia: Seguro viagem pela América Latina | Dicas e desconto

7 dicas infalíveis de como escolher um hostel para a sua viagem. Descubra quais critérios você deve analisar para não fazer uma escolha errada na hora de definia a sua acomodação.
Salve esta imagem no seu Pinterest!!!

Se todos os hostels fossem iguais ao primeiro em que me hospedei na vida, dificilmente este tipo de acomodação teria se tornado a número um durante as minhas viagens. De boas recordações só tenho as pessoas que lá conheci, e o tão esperado momento do check-out. Por sorte depois desta primeira experiência catastrófica, na segunda parada deste mochilão tive como casa um dos melhores albergues que já conheci.

Estas duas experiências tão contrastantes, me ensinaram que nas próximas trips eu teria que ter mais atenção na hora de escolher um hostel. Desde então tomo bastante cuidado quando decido em qual albergue ficar. E tenho sido bem sucedido nas minhas escolhas: dos quase cem hostels em que já me hospedei, conto nos dedos de uma única mão quais são aqueles que eu me arrependo de ter reservado.

Por conta disso, decidi reunir neste post algumas dicas que devem te ajudar nesta etapa do planejamento da sua viagem. Irei te contar quais os aspectos que eu considero importantes para escolher um hostel que atenda as minhas (e as suas) necessidades.

1- Localização

Você deve se atentar a localização da sua acomodação independente de qual tipo ela seja. Não importa se você ficará em um hotel cinco estrelas ou em um quarto compartilhado baratinho, ficar em uma boa região é fundamental para aproveitar mais sua viagem.

E a verdade é que uma boa localização vai depender, principalmente, dos seus gostos e planos para a cidade. Quase sempre todos os bairros com concentração de hospedagem terão vantagens e inconvenientes. Cabe somente a você decidir quais delas você quer ter durante as suas férias.

Abaixo alguns itens para analisar:

»»» O bairro possui fácil acesso com o transporte público ou está perto das atrações turísticas?

»»» Grandes cidades normalmente tem uma região que se destaca pela vida noturna agitada. Se sua ideia é aproveitar a noite, talvez seja uma boa ideia se hospedar por lá. Porém, se você está a fim de ter boas noites de sono, talvez a ideia não seja tão boa assim.

»»» Você prefere ficar em uma área predominantemente residencial ou comercial?

»»» Qual a média de preço nesta região?

»»» O bairro é considerado seguro?

»»» Dica: Via de regra, em pequenas cidades a localização mais conveniente é a região central.

2- Hostel de grande porte ou mais intimista?

Na minha última viagem à capital da Argentina fiquei em um dos hostels mais tradicionais do centro de Buenos Aires, o Suites Florida. E, embora eu não tenha nada do que me queixar, durante a minha estadia me dei conta que talvez aquele ambiente não fosse o que eu estava buscando para esta viagem.

O Suites Florida é enorme, e a rotatividade de hóspedes e funcionários (durante os turnos) é maior ainda. Isso é absolutamente comum em grandes albergues e vale lembrar que não há nada de errado. Porém, se você gosta de lugares mais intimistas e com menos movimentação de pessoas, talvez um hostel menor seja mais adequado. E, como já mencionei, dependendo dos planos da sua viagem você pode preferir ficar em um ou em outro tipo.

Leia também: É seguro ficar em hostel?

3- Party Hostel

Poucas coisas são tão divertidas quanto festas em hostels. Não à toa há centenas de albergues que se denominam Party Hostels. Ou seja, possuem uma programação intensa de festas durante todos, ou quase todos, os dias da semana. Pra quem está a fim de curtição é uma alegria só.

No entanto, se você quer festa durante um dia, mas nos outros três quer aproveitar para descansar e conhecer a cidade, certamente ficará irritado com o barulho e a bebedeira alheia naqueles dias que você quer tranquilidade.

É claro que há diferentes níveis de Party Hostels. Alguns são festas 24 horas por dia e outros nem tanto. Mas, independente disso, só fique em um se você quiser farrear todos os dias da sua estadia.

trabalhando em hostel
Eu (trabalhando) durante uma festa a fantasia no Bigfoot Hostel, na Nicarágua

Leia também: 5 formas de encontrar trabalho durante uma viagem

4- Dormitório compartilhado ou quarto privado?

Hostel escolhido, o próximo passo é você decidir em que tipo de quarto ficará hospedado. E há basicamente três: compartilhado misto (homens e mulheres), compartilhado feminino e privado.

O quarto particular é ideal para quem quer usufruir do astral de um hostel sem ter que dividir o quarto com desconhecidos. Obviamente a diária é mais cara do que apenas uma cama em habitação dividida, porém, quem viaja acompanhado pode ter um excelente custo-benefício.

Nos quartos compartilhados (misto ou feminino) você dividirá o espaço com outros viajantes desconhecidos. As camas são beliche e dificilmente você poderá escolher se ficará na cama de baixo ou de cima – a menos que ela esteja desocupada, claro.

Outra coisa que você não escolherá são os seus coleguinhas de quarto. Pode ter gente falante – inclusive de madrugada, mas um shiiiii costuma resolver -, gente monossílaba, gente que ascende a luz ou faz barulho quando todos os outros estão dormindo, gente que ronca… Enfim, já deu pra você entender. Mas também tem muita gente legal que acaba se tornando seu colega de passeio ou até mesmo amigo para o resto da vida.  

Já uma coisa que você escolhe é com quantas pessoas irá dividir o quarto. Quanto mais pessoas ele acomodar mais barato ele tende a ser. Ou seja, um quarto para dez pessoas é mais barato do que um para quatro viajantes. Eu particularmente tento me hospedar em quarto para até seis pessoas e, caso seja a primeira vez que você ficará em hostel, recomendo que faça o mesmo.

Também sugiro que você preste atenção nas fotos e na metragem quadrada do quarto. O Booking.com disponibiliza estas duas informações. Apesar das fotos nos darem uma ideia de como é a habitação, em alguns casos elas podem dar a impressão de que o lugar é maior do que realmente é. Sabendo quantos metros quadrados o quarto possui fica mais difícil ter alguma surpresa desagradável.

Leia também: Como viajar gastando pouco dinheiro?

5- Atenção aos banheiros

Talvez este seja o maior responsável por fazer muitas pessoas desistirem de se hospedar em hostels. Afinal, dividir banheiro com desconhecidos pode exigir uma quebra de paradigma na sua vida.

Se você for ficar em um quarto privado talvez não precise se preocupar com isso. Veja bem, eu disse talvez. Não é raro que alguns albergues tenham quartos privados com banheiros compartilhados, já que o quarto em questão pode não ser uma suíte.

Se você for ficar em um quarto compartilhado, compartilhado também será o banheiro. E, neste caso, há basicamente duas possibilidades: ou o banheiro é dentro do próprio quarto, e você divide apenas com seus colegas de habitação. Ou o banheiro é externo e você divide com todos os outros quartos compartilhados que existem no hostel. Neste último caso, pode ter banheiros femininos e masculinos ou sem esta separação.

Independente de onde seja o banheiro, acho mais importante você ficar atento sobre a limpeza e a quantidade. É claro que nem sempre o banheiro estará disponível exatamente no momento que você for tomar banho – já fica a dica para se programar. No entanto, se tiver apenas um chuveiro para quinze pessoas, obviamente você não ficará contente.

As avaliações de outros hóspedes no Booking.com é um ótimo lugar para você descobrir este tipo de informação.

6- Área comum

Devidamente instalado, é hora de descobrir como é a área social do seu albergue. E, para mim, isso é um fator de peso na hora de escolher um hostel. Afinal de contas a área comum é onde normalmente rola a tão famosa socialização com outros hóspedes.

Se você não quer papo com ninguém e não faz questão que o hostel tenha um bar, sala de TV, sala de leitura, jardim ou qualquer outro espaço com mesas e cadeiras, ao menos confira se há uma cozinha disponível para os hóspedes.

Aliás, não apenas uma cozinha. Mas uma cozinha bem equipada. De nada adianta ter geladeira e fogão se há apenas uma panela, dois pratos e três copos para dez pessoas.

dicas de como escolher um hostel - albergue
Uma área comum de respeito

Leia também: 10 coisas que eu odeio (em alguns) hostels

7- Pequenos Detalhes & Grandes Vantagens

Por último, mas não menos importante, deixarei uma lista com alguns pormenores que podem trazer enormes benefícios ou evitar incômodos durante a sua estadia em um hostel.

»»» Dormitórios que possuem luz e tomadas individuais ao lado de cada cama ganham pontos comigo.

»»» Também saem na frente aqueles que possuem armários para guardar pertences de valor. Se for grande o bastante para acomodar uma mochila escolar melhor ainda.

Leve um cadeado. Não perca as chaves e nem esqueça dentro do armário antes de fecha-lo.

»»» Nem todos os hostels possuem recepção 24 horas. SEMPRE questione isso na hora do check-in. Ou corra o risco de ficar do lado de fora quando chegar de madrugada.

»»» Hostel não é hotel. As toalhas de banho são por sua conta, não se esqueça de levar. Alguns poucos disponibilizam gratuitamente, outros cobram pelo empréstimo.

O mesmo vale para shampoo, sabonete e afins.

»»» Em vários países da América Latina pagamento com cartão de crédito não é tão comum quanto no Brasil. Sempre verifique isso antes de chegar ao hostel.

»»» Dos quase cem hostels que já fiquei hospedado, em apenas dois deles tive o desprazer de encontrar uma beliche tripla em um dormitório. Posso te garantir que ficar na última cama não é nada agradável. Principalmente se o pé direito é baixo e você nem consegue se sentar sem bater a cabeço no teto.

Embora seja minoria, depois destas experiências sempre verifico isso antes de confirmar uma reserva.

»»» Hostel não é hotel (2). Nem sempre o café-da-manhã está incluído na diária, verifique. E, mesmo quando estiver incluído, não espere encontrar um banquete. Normalmente é uma refeição simples: pão de forma, manteiga, bolachas doces e salgadas, café, leite e achocolatado. Se encontrar mais que isso se considere um afortunado.

»»» Já perdi as contas de quantos hostels em que me hospedei tinham um bichano de estimação. Muitas vezes perambulando pela área comum do albergue.

Apesar deles não me incomodarem, sei que isso pode ser um problema para muitas pessoas. Principalmente para quem tem alergia. Se for o seu caso, vale enviar um e-mail para hostel questionando se há gatos (ou outros animais) por lá.

»»» Hostels têm suas próprias regras para boa convivência e funcionamento. Leia todas e as cumpra. Aliás, você já pode se adiantar e ler o post “Não seja um babaca de hostel”, do blog Apure Guria. Ele já te dará uma boa ideia do que fazer e do que não fazer em um albergue.

»»» Leia atentamente as avaliações de outros hóspedes em sites como o Booking.com.

»»» Gentileza gera gentileza. Em qualquer lugar do mundo!

»»» Ficou com alguma dúvida ou tem outra dica de como escolher um hostel? Me conta aí nos comentários. Tenho certeza que ajudará outros viajantes.


QUER AJUDAR O BLOG SEM PRECISAR GASTAR UM ÚNICO CENTAVO POR ISSO?

Utilizando os serviços dos nossos parceiros através dos links que estão aqui no blog, nós ganhamos uma pequena comissão e VOCÊ NÃO PAGA ABSOLUTAMENTE NADA A MAIS POR ISSO.

 Confira as dicas de como pesquisar e reservar sua hospedagem através do Booking.com

 Compare e contrate seu seguro viagem através da Seguros Promo
Não se esqueça de usar nosso cupom para ganhar 5% de desconto (VOLTOLOGO5)

COMPARTILHAR
Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

10 COMENTÁRIOS

  1. Fiquei bastante em hostel durante a minha viagem pela Austrália, só que sempre preferi quartos particulares! Achei suas dicas ótimas. Teria me ajudado a escapar de alguns problemas rs

  2. oi Murilo… Sabe que hostel para mim é sinônimo de pesadelo?! rsrsrs Quarto e banheiro compartilhados definitivamente não funcionam para mim. E olhe que já tentei! rsrsr Momentos de total terror! rsrrs

    Dito isso, quero complementar que o texto está muito bem posto para quem adora se aventurar pelos albergues do mundo. Tenho alguns amigos que não dispensam, especialmente aqueles que viajam sozinhos. Então suas dicas, tenho certeza, vão ajudar muitos viajantes! 🙂

    • Heeey Analuiza, tudo bem?

      Realmente, quarto e banheiro compartilhado não é pra todo mundo…
      Ao menos você já experimentou e descobriu que não é sua praia! hehe

      Abraço!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here