Embora aproveitar a vida boa de frente para o mar seja uma das principais coisas para fazer em Bertioga, há certos detalhes que podem deixar a sua experiência ainda mais prazerosa.

Além disso, apesar de Bertioga não oferecer tantas atrações fora d’água, há alguns lugares que podem entrar no seu roteiro de viagem e te surpreender positivamente.

Outra boa notícia é que não é necessário muito tempo para conhecer os principais atrativos da cidade.

A pouco mais de 100 quilômetros da grande São Paulo, os viajantes que quiserem dar uma escapada da maior metrópole brasileira conseguem fazer uma bela viagem de final de semana.

Inclusive, dá pra ir de ônibus gastando menos de duas horas na estrada.

E, para que você já chegue sabendo o que fazer em Bertioga, neste texto eu indicarei seis programas que você pode incluir no seu itinerário, e um passeio que foi uma das maiores ciladas da minha vida viajante (e que talvez seja melhor evitar).

Leia também: Onde ficar em Bertioga | Dicas, praias e pousadas

# Dicas do que fazer em Bertioga

1- Curtir o agradável calçadão do centro
2- Explorar a Prainha Branca
3- Visitar a Praia de Itaguaré
4- Aproveitar as outras praias de Bertioga
5- Passar um dia no Sesc Bertioga
6- Passeio de Escuna
7- Deixar seu estômago contente

1- Curtir o agradável calçadão do centro

Uma das minhas surpresas mais agradáveis em Bertioga foi encontrar um calçadão à beira-mar pra lá de bem cuidado no centro da cidade.

Além das tradicionais ciclovias e de um calçadão para pedestres, a orla da praia central tem ainda jardins, pista de skate e playground pra criançada.

Apesar de não ter uma boa estrutura de quiosques e restaurantes, na areia é possível garantir alguns comes e bebes em barraquinhas modestas.

Além disso, caminhar por essa região no final da tarde é sem dúvida um passeio bastante simpático.

atrações para conhecer em Bertioga
Orla do centro de Bertioga

» Clique aqui para encontrar ofertas de pousadas em Bertioga

2- Explorar a Prainha Branca

Na minha opinião, a Prainha Branca é a melhor escolha para passar um dia de bobeira na areia. O mais curioso, porém, é que na verdade ela é uma praia da cidade vizinha Guarujá.

Mas isso nem de longe chega a ser um problema, porque ela se encontra na divisa dos dois municípios, e é mais prático chegar até lá desde o centro de Bertioga do que do centro do Guarujá.

Acessada somente pelo mar ou por trilha, a Prainha Branca é famosa pelo seu ambiente rústico e alternativo – uma espécie de Trindade do litoral paulista, só que com menos estrutura turística.

Ainda assim, apesar das instalações modestas, quem quiser passar mais tempo neste refúgio encontra diversos campings e suítes básicas para alugar.

Locais para comer também não faltarão, mas na faixa de areia os dois quiosques mais arrumados é o Larica’s Point – que fica bem no meio da praia, e o Recanto da Ilha Bar – que se encontra no canto direito. Ambos oferecem mesas com guarda-sol, refeições completas e bebidas geladas.

Para chegar à Prainha Branca desde Bertioga, o jeito mais prático, rápido e confortável é fazendo a travessia de barco, que custa R$ 25,00 por pessoa.

Os barqueiros ficam no calçadão do Canal de Bertioga, próximo ao Forte de São João. É só chegar lá e negociar a aventura pelo mar.

Quem quiser economizar essa grana também dá pra chegar sem gastar um único centavo com o deslocamento.

Neste caso, basta pegar a balsa de Bertioga para Guarujá – pedestres não pagam nada – e ao descer no lado de Guarujá fazer uma trilha leve que dura entre 30 e 40 minutos.

Prainha Branca - Guarujá e Bertioga
Prainha Branca

3- Visitar a Praia de Itaguaré

Se eu tivesse que indicar apenas um lugar para você incluir na sua lista do que fazer em Bertioga, certamente seria a Praia de Itaguaré. Afinal, este foi o cenário que mais me impressionou na cidade.

Localizada a 17 quilômetros do centro de Bertioga, a Praia de Itaguaré é selvagem e não há nenhuma estrutura pé na areia – um lugar verdadeiramente deserto na baixa temporada.

Apesar de poder acessar seu canto direito a partir da Praia de São Lourenço, o pedaço mais bonito e fotogênico é onde o Rio Itaguaré deságua no mar, com acesso pela Rodovia Governador Mário Covas.

Quem estiver sem carro consegue chegar lá utilizando as linhas de ônibus que vão até Boracéia (linhas 2 e 9, sendo que a 9 é a mais rápida).

Avise o motorista para parar no ponto da Praia de Itaguaré. Como neste trecho da rodovia há basicamente um ponto de ônibus por praia, se você errar o local de descida terá que caminhar alguns quilômetros para voltar.

Se a fome bater quando estiver por estas bandas, na beira da estrada, ao lado do acesso que leva até a praia, há alguns restaurantes que podem agradar o seu estômago.

Bertioga roteiro de viagem
Praia de Itaguaré

Leia também: 7 dicas valiosas para sua viagem a Bertioga

4- Aproveitar as outras praias de Bertioga

Prainha Branca no Guarujá é uma praia realmente bonita, e a Praia de Itaguaré me apresentou um dos cenários mais lindos do litoral de São Paulo. No entanto, as outras praias de Bertioga, apesar de renderem um dia relax, não me chamaram a atenção no quesito beleza.

De qualquer forma, saiba que há outros pedaços de areia bastante movimentados na cidade.

A Praia do Indaiá se caracteriza pelo seu aspecto rústico e despreocupado. O espaço mais ocupado, e que tem alguns restaurantes e comércios a poucos passos da areia, é a parte conhecida como Costão do Indaiá.

Do Costão do Indaiá dá pra ir andando – são cerca de 20 minutos – até uma das áreas mais badaladas de Bertioga: a Riviera de São Lourenço.

Com uma faixa de areia espaçosa o suficiente pra viajante nenhum botar defeito, o que mais chama atenção por estas bandas, na realidade, é o loteamento planejado que possui prédios elegantes e comércios de todos os tipos.

Já na divisa com o município de São Sebastião, a Praia da Boracéia é uma praiona plana e que costuma agradar boa parte dos viajantes.

E claro, quem estiver hospedado pelo centro e não quiser perder tempo com deslocamentos, a Praia da Enseada, como é chamada a praia central da cidade, é uma escolha pra lá de conveniente.

pontos turísticos em Bertioga
Costão do Indaia
Riviera de São Lourenço, em Bertioga, dicas
Riviera de São Lourenço

Leia também: 10 pousadas baratas em Bertioga

5- Passar um dia no Sesc Bertioga

Justamente uma das coisas que eu mais queria fazer em Bertioga, que era visitar a famosa unidade do Sesc da cidade litorânea, teve que ficar para uma próxima oportunidade.

Por isso, a primeira dica para conseguir usufruir da estrutura e serviços do local, é: programe-se com antecedência. Afinal, os ingressos costumam se esgotar rapidamente.

Na unidade de Bertioga você pode simplesmente comprar um ingresso que dá direito de passar o dia por lá, ou até mesmo se hospedar no complexo.

A má notícia é que quem não é credenciado na rede só consegue fazer isso durante a baixa temporada (de março a maio, e de agosto a 1ª quinzena de dezembro).

O Sesc Bertioga possui piscina, espaços com redes, parquinho pra criança, e ainda oferece diversas atividades esportivas e recreativas.

6- Passeio de Escuna (Eu evitaria!)

Essa é uma dica do que não fazer em Bertioga.

É bem verdade que minha experiência desastrosa com o tradicional passeio de escuna deve ter sido uma exceção, afinal, imprevistos acontecem.

Porém, a frustração foi tanta que não tem como apagar a má impressão.

O tal passeio de barco que sai do Calçadão do Canal Bertioga somente aos finais de semana e dura entre 1h30 e 2hs, promete levar os viajantes a diversas praias e fazer uma parada para banho de 20 minutos na Praia do Iporanga.

O passeio começou no horário previsto e ocorreu tudo bem durante 10 minutos. Depois disso, foi uma sucessão de imprevistos que levou os viajantes que estavam à bordo desperdiçarem algumas horas do seu dia.

A minha experiência [Março/2019]

Antes mesmo de passar pela primeira praia do itinerário, os funcionários do barco perceberam que o mar estava mais agitado do que o habitual e decidiram fazer uma votação entre os viajantes para saber se eles queriam continuar a rota tradicional “com emoção”, ou fazer um passeio mais tranquilo.

Praticamente por unanimidade, falamos que gostaríamos de continuar com a rota tradicional mesmo com o barco balançando um pouco.

Porém, só aí já vejo duas situações que, na minha opinião, não deveriam acontecer:

» Primeiro: Ok, ninguém tem o poder de controlar o mar. Porém, normalmente, as agências já sabem quando as águas estão mais conturbadas e, se for o caso, nem saem para o passeio.

Sair com a escuna e poucos minutos depois informar sobre essa situação não é a atitude mais bacana do mundo.

» Segundo: Por questões de segurança, a decisão de continuar ou não o passeio, na minha opinião, não deveria ser decidida em uma votação entre os turistas, mas sim, entre os funcionários da agência.

Uma vez que foi proposta a votação aberta, se imagina que não há problemas de segurança, mas apenas um balanço inconveniente.

Porém, o mais inusitado ainda estava por vir.

Depois da tal votação, os funcionários voltaram atrás e acharam melhor fazer a rota mais tranquila. Só que o tal percurso alternativo era apenas navegar pelo Canal Bertioga – que é de onde já saem as embarcações.

Ou seja, ficamos no mesmo lugar que poderíamos ver do próprio calçadão, só que dentro da escuna.

A parada para entrar na água foi por ali mesmo, que além de ser um lugar pouco bonito, poderia ser feito a nado sem precisar fazer um passeio para chegar até lá.

Para encerrar, a escuna em que estávamos nem sequer conseguiu terminar o passeio. O motor do barco esquentou e foi necessário vir outra escuna nos buscar para voltarmos à terra firme.

Como disse no início, todo esse aborrecimento deve ter sido uma exceção. Entendo perfeitamente que esse tipo de situação pode acontecer em qualquer passeio.

No entanto, a sensação que ficou foi que o tour começou com um barco que já estava com problema e que os funcionários já sabiam disso.

Por fim, se você ainda está em dúvida se deve ou não incluir este passeio no seu roteiro em Bertioga, leia os comentários de outros leitores no final de texto.

Algumas pessoas relataram ter tido uma boa experiência. Por outro lado, alguns viajantes comentaram ter tido uma experiência ruim.

passeio de escuna em Bertioga
A escuna que veio nos resgatar!

7- Deixar seu estômago contente

Como saco vazio não para em pé, a última dica do que fazer em Bertioga tem como função agradar o eu estômago.

Localizado no centro da cidade o Burguers on Fire faz lanches gostosos, por um preço amigo e num espaço bacana – com temática Rock and Roll. Aliás, até mesmo os nomes dos combos são referência à bandas conhecidas nos quatro cantos do mundo.

Apesar de não ter invenções mirabolantes, o Burguers on Fire faz o clássico muito bem feito.

Quem quiser comer apenas o hambúrguer vai gastar algo entre R$ 20,00 e R$ 27,00. Já o combo com fritas e bebida fica na faixa de R$ 35,00.

Também no centro, na movimentada Avenida Anchieta, o Pastel Bertioga (não confundir com o Pastel do Trevo) é uma escolha certeira para quem estiver em busca de um lugar para beber e comer bem, num espaço agradável e aconchegante.

Além de pastéis doces e salgados, o cardápio inclui panquecas, lanches e porções.

hamburgueria em Bertioga
Lanche do Burguers on Fire

+ Dicas do que fazer em Bertioga

Quem não abre mão de uma boa trilha é possível incluir esse programa na sua lista do que fazer em Bertioga.

Uma das mais famosas é a Trilha do Guaratuba, mas também há outras opções para todos os gostos e preparos físicos.

Com mais tempo disponível, além de Bertioga você pode incluir outros destinos do litoral paulista no seu roteiro. Algumas opções próximas, são: Guarujá, Maresias e Ilhabela.

E claro, se tiver outras dicas do que fazer Bertioga me conta aí nos comentários! 🙂

3 lugares para se hospedar em Bertioga

($) Para os viajantes que procuram um albergue, o  Jundu Beach Hostel  é uma das opções mais bem cotadas da cidade.

($$) Quem faz questão de privacidade, mas não quer gastar uma fortuna, a  Pousada Canto da Praça tem um ótimo custo-benefício.

($$$) Podendo investir um pouco mais, e caso queira um ambiente diferenciado, o Riviera Flat, na Riviera de São Lourenço, é uma boa escolha.

» Se acaso preferir, clique aqui e confira outras ofertas de hospedagem em Bertioga.

Avatar para Anônimo
Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

33 COMENTÁRIOS

  1. Achei interessante o texto, bem rico. Acredito que foi apenas um incidente normal sobre o seu passeio de escuna. Legal compartilhar seja como foi. Mas acredito que não foi feliz em afirmar para que outras pessoas não façam o passeio. Deveria editar o título o quanto antes. Ofuscou sua matéria. Mas precisamos entender todos os lados. Senti falta de mais opções de alimentação. E seria bom se desse mais detalhes dos passeios. Ex.: “…encontrei pelo caminho uma cobra… ou ouvimos um pássaro cantando muito alto… “, “chegando no local, parei para contemplar a natureza…”
    E ai mostrar fotos, entende? Não sei se consegui me expressar bem.
    Mas é isso. Valew. Felicidades e sucesso. @heitorcostaguaruja

    • Olá, Heitor, tudo bem?

      Muito obrigado pelas considerações!

      Consegui entender sim, quanto aos detalhes que você mencionou. =)

      Vou procurar descrever com mais detalhes, realmente faz diferença, né?!

      Abraço!

  2. Obrigado pelas dicas, amei Bertioga!!!!
    Segui muito suas dicas pra curtir a cidade. achei bem segura a cidade e com bastante opções a noite no centro.
    Não tive coragem tbm do passeio de escuna, e queria saber sobre a balsa pra ir pro Guaruja, mas pretendo voltar e ir a prainha branca.

    • Oi Cida, tudo bem?

      Que legal, fico feliz em saber que as dicas de Bertioga te ajudaram e que você aproveitou a viagem! 🙂

      Sobre a balsa, ela fica pertinho do centro de Bertioga. Dá para você ir como pedestre, sem pagar nada, ou até mesmo cruzar com seu carro.

      Abraço!

  3. Amor Bertioga, é tranquila e verde, mas aquelas escunas ancoradas que fazem o passeio me causam medo. Não vejo segurança, outro dia contei os coletes salva vidas e a quantidade de pessoas…. Se acontecer algo durante o passeio não há coletes para todos. Outra coisa quando ancorados deixam o som altíssimo, atrapalhando a vida de quem está fora… Uma falta de respeito.

  4. Bertioga está intrinsicamente ligada à História do Brasil. Pra quem gosta de cultura, o Forte, a aldeia guarani e a Vila de Itatinga são imperdíveis. Pra quem curte natureza, não pode deixar de ir pra Itaguaré (e aroveitar pra comer num dos restaurantes da estradinha que leva pra Itaguaré) ou uma das cachoeiras. Bertioga é ruts: Os melhores passeios não estão exatamente na altura dos olhos pq o potencial não é bem explorado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here