Viagem ao Rio de Janeiro: Dicas práticas para organizar suas férias! Descubra quando ir, quantos dias ficar, como chegar, onde se hospedar, quais são as principais atrações e passeios, e como montar um roteiro.
Salve esta imagem no seu Pinterest!!!

Embora minha primeira viagem ao Rio de Janeiro tenha sido pouco turística, pois fui numa excursão da faculdade que tinha como objetivo visitar as obras do Maracanã, o encantamento com a cidade foi instantâneo.

Cheguei nas primeiras horas do dia, e, ainda do ônibus, contemplar os primeiros raios de sol, os primeiros atletas correndo na Avenida Atlântica, e os primeiros corajosos a entrar no mar com a água hiper-gelada, foi um inesquecível cartão de visitas.

No entanto, é verdade que nem todos viajantes têm apenas boas experiências durante uma viagem ao Rio de Janeiro. Além disso, outros tantos simplesmente esperavam algo a mais do destino, e não são devidamente encantados por todas as suas maravilhas.

Ainda assim, pertenço ao não tão pequeno grupo de pessoas que batem o pé para afirmar: poucos lugares do mundo são destinos turísticos tão completos, e com tantas atrações, quanto o Rio de Janeiro.

E, para que você possa aproveitar ao máximo as suas férias, neste texto eu contarei tudo o que você deve saber para se planejar adequadamente.

# Dicas de viagem ao Rio de Janeiro

1- Qual a melhor época para ir ao Rio de Janeiro?
2- Quantos dias ficar?
3- Chegando ao Rio de Janeiro
4- Melhor região para se hospedar
5- Atrações e pontos turísticos no Rio de Janeiro
6- Praias no Rio de Janeiro
7- E a tal da segurança no Rio de Janeiro?
8- Roteiro de 4 dias no Rio de Janeiro

1- Qual a melhor época para ir ao Rio de Janeiro?

Embora possa parecer exagero, a melhor época para uma viagem ao Rio de Janeiro é quando você quiser e puder!

Destino coringa em que o clima dificilmente causa complicações nos roteiros, o Rio pode ser visitado, inclusive, durante feriadões comuns – já que o fluxo de viajantes segue outro fluxo e a cidade fica mais vazia.

Por outro lado, durante o Ano Novo e Carnaval, só vá ao Rio somente se você quiser aproveitar as festividades. Para turistar, é a única época do ano que eu não recomendo por motivos de superlotação e preços estratosféricos.

Ainda assim, apesar de toda essa versatilidade, considere algumas características que podem te agradar menos ou mais, dependendo dos seus gostos.

Durante o verão, as temperaturas altíssimas e as chuvas mais constantes, podem causar uma sensação térmica do tipo insuportável nos viajantes menos habituados com o calorão.

O outono é um ótimo período para viajar ao Rio. Clima seco, e dias ensolarados sem que as temperaturas extrapolem os limites do bom senso, formam o combo ideal para aproveitar tanto as praias, como também as atividades ao ar livre sem necessariamente entrar na água.

Durante o inverno, as temperaturas mais baixas levam os cariocas à loucura. Porém, por temperaturas baixas, entenda que dificilmente fará menos do que 15 °C. Certamente não é o clima ideal para a praia, mas ainda assim, não chega a ser um frio insuportável. Além disso, é comum que dias de inverno mais se pareçam com dias de verão – para alegria geral de moradores e turistas.

Na primavera as temperaturas sobem, assim como o volume de chuva. Dias seguidos de tempo nublado podem acontecer. No entanto, nada que causa grandes prejuízos às férias.

melhor época para uma viagem ao Rio de Janeiro
Pôr do sol visto da Pedra do Arpoador

2- Quantos dias ficar?

No mínimo quatro dias inteiros. É claro que com menos tempo dá para visitar as principais atrações turísticas do Rio de Janeiro. No entanto, o Rio e seus arredores tem programação para mais de meses.

Se possível, fique ao menos uma semana. Dessa forma, além dos pontos turísticos indispensáveis numa primeira viagem ao Rio de Janeiro, você também poderá curtir as praias da cidade.

Com mais tempo disponível. considere esticar o itinerário até destinos como Petrópolis, Teresópolis, Arraial do Cabo ou Búzios.

roteiro de viagem ao Rio de Janeiro
Jardim Botânico do Rio de Janeiro

3- Chegando ao Rio de Janeiro

Principal destino turístico do Brasil, não é difícil chegar ao Rio de Janeiro. Além de dois aeroportos, o terminal rodoviário da cidade oferece saídas para dezenas de cidades dentro do próprio estado, como também para lugares mais longe.

Aeroporto Santos Dumont

Para quem for chegar ao Rio de Janeiro de avião, o Aeroporto Santos Dumont é o aeroporto mais prático para aterrissar. Isso porque, está localizado no centro da cidade, praticamente ao lado de Flamengo e Botafogo, e menos de dez quilômetros de Copacabana e Ipanema.

Pousando no Santos Dumont, além de poder se deslocar facilmente com o transporte público, uma corrida de Uber até as praias da zona sul custa, em média, R$ 30,00.

Aeroporto do Galeão

O Aeroporto Internacional do Galeão é o maior do Rio de Janeiro e o que recebe o maior número de voos que chegam ao Rio.

Embora não seja tão longe do centro como em outras cidades do Brasil em que os aeroportos ficam ainda mais afastados, percorrer os vinte e cinco quilômetros do Galeão até as praias da zona sul pode exigir facilmente mais de uma hora.

Além dos táxis oficiais do aeroporto, outra forma confortável de ir do aeroporto para o seu hotel é de Uber. Uma corrida até os bairros da zona sul deve sair por aproximadamente R$ 70,00, podendo chegar a R$ 100,00 nos casos de tarifa dinâmica.

Para quem quiser economizar essa grana, os ônibus especiais que saem do aeroporto para os principais bairros da cidade tem bom custo-benefício. Por R$ 20,00, você pode chegar ao Centro, Aeroporto Santos Dumont, Copacabana, Ipanema, Leblon e Barra da Tijuca.

No entanto, tenha em mente, que além de horários espaçados, os ônibus têm paradas fixas, que não necessariamente será próxima ao seu hotel.

Disposto a se aventurar pelo transporte público do Rio, saiba que dá para sair do Galeão usando a combinação BRT + metrô.

Para mais detalhes sobre como sair do Galeão, recomendo que leia este texto, do blog Viaje na Viagem.

Rodoviária Novo Rio

Além de servir como ponto de embarque para quem vai a Cabo Frio, Búzios, Paraty e outros destinos do estado, a Rodoviária Novo Rio também pode ser útil até mesmo para viajantes de outros estados.

Situada a cinco quilômetros do centro do Rio, e a dez doze quilômetros das praias da zona sul, alguns dos principais destinos interestaduais para chegar, ou sair, de ônibus do Rio de Janeiro, são:

» São Paulo, 6h30.
» Campinas, 7h.
» Belo Horizonte. 7h30.
» Juiz de Fora, 3h.
» Vitória, 8h30.

4- Melhor região para se hospedar

Numa primeira viagem ao Rio de Janeiro, em que o objetivo seja turistar, os melhores bairros para se hospedar são os tradicionais da zona sul da cidade. Aliás, também são ótimos pedaços para passear.

É verdade que o preço de hospedagem em Leblon, Ipanema e Copacabana são os mais altos do Rio. No entanto, na minha opinião, o investimento vale a pena. Até porque, dá para achar acomodações de diversas categorias em todos estes bairros.

Ainda assim, quem não fizer questão de ficar perto da praia, pode considerar se hospedar nas vizinhanças de Botafogo e Flamengo – que são centrais, próximas de muitas atrações, e tem bom acesso ao transporte público.

Hospedagem no Leblon

Dono de um dos metros quadrados mais valorizados do Rio, as acomodações neste bairro tendem a ser mais caras do que nas praias vizinhas.

Leblon fica ao lado de Ipanema, e é atendido pelas estações de metrô Jardim de Alah e Antero de Quental.

Não é minha praia favorita no Rio, porém, não dá para negar que é uma ótima área para se hospedar, desde que você esteja com o orçamento mais folgado.

O Brazilodge All Suites Leblon é o melhor albergue do pedaço – tanto para quem está em busca de um dormitório compartilhado, como também para os viajantes que preferem uma suíte privada.

Para algo mais convencional, o Leblon The Best of Brazil tem bom custo-benefício.

Hospedagem em Ipanema

Localizada entre Leblon e Copacabana, a Praia de Ipanema é, para mim, um dos melhores bairros para ficar no Rio de Janeiro.

Por estar entre duas das praias mais famosas da cidade, além dela própria que é extremamente movimentada, quem quer curtir dias na areia não terá nenhuma dificuldade para se locomover. Aliás, com disposição dá até mesmo para ir andando de uma para outra.

Dos bairros à beira-mar da zona sul, Ipanema é o que tem a maior concentração de hospedagens, o pedaço de areia mais concorrido, e a noite mais agitada – com bares e restaurantes por todos os lados.

Para quem for ficar num albergue, os mais bem avaliados do bairro são o El Misti Hostel e o Mojito Hostel & Suítes.

Para quem quer se hospedar numa acomodação mais intimista estilo pousada, a Margaridas Pousada e a JM Guesthouse Ipanema tem estrutura organizada e ótimos preços.

Podendo investir num hotel quatro estrelas, vale conferir as ofertas do Arena Ipanema e o Best Western Arpoador.

Hospedagem em Copacabana

Com boa estrutura de bares, restaurantes e comércios em geral, além de ser uma das praias mais emblemáticas da cidade, Copacabana ainda é um bom lugar para se hospedar durante uma viagem ao Rio de Janeiro. Afinal, além da boa localização, tem boa estrutura para os viajantes.

Porém, antes de reservar seu hotel, fique atento às fotos das acomodações, e das avaliações feitas por outros viajantes. Isso porque, algumas hospedagens precisariam passar por uma boa repaginada.

O melhor hostel do bairro é o Hoshtel. Tem organização impecável, limpeza bem feita e funcionários hiper atenciosos.

Já o hotel mais tradicional e sempre cheio é o Hotel Atlântico Rio. Um quatro estrelas acessível e com bom custo-benefício.

Mais perto da praia, e também com boa estrutura, o B&B Hotels RJ Copacabana é outra opção para quem não quer gastar uma fortuna.

Para uma estadia mais elegante, vale consultar as suítes do Miramar Hotel.

Rio de Janeiro - dicas de viagem
Calçadão de Copacabana

Leia também: 10 hotéis baratos em Copacabana

Hospedagem em Botafogo e Flamengo

Localizados entre as praias da zona sul e o centro da cidade, Botafogo e Flamengo são boas vizinhanças para quem não faz questão de ficar grudado numa praia bacana. Isso porque, apesar de serem bairros com praia, a condição do mar não é a melhor para banho.

Além disso, outra vantagem de se hospedar nestas regiões é que dá para encontrar acomodações com tarifas mais atraentes com mais facilidade.

Por fim, além de estar numa região com fácil acesso a muitos pontos turísticos, Botafogo ostenta uma noite bastante animada. Não faltam bares e restaurantes pela região.

Três boas acomodações em Botafogo, são: Injoy Hostel, Ibis Budget Botafogo e o  Mercure Botafogo.

Próximo ao Aterro do Flamengo, o Petit Rio Hotel é uma das acomodações mais bem cotadas da região.

Leia também: 10 hotéis baratos no Rio de Janeiro

5- Atrações e pontos turísticos no Rio de Janeiro

Unindo paisagens naturais com atrações históricas e culturais como poucas cidades conseguem fazer, uma viagem ao Rio de Janeiro é repleta de atividades para a manhã, tarde, pôr do sol e noite. Portanto, é necessário se programar adequadamente para conseguir dar conta de tantas atividades.

Confira a seguir uma lista com os melhores pontos turísticos no Rio de Janeiro para a sua primeira visita a cidade.

» Free Walking Tour (Há três roteiros diferentes. Consulte aqui)
» Mural Etnias
» Museu do Amanhã
» Museu de Arte do Rio
» Confeitaria Colombo
» Real Gabinete Português de Leitura
» Theatro Municipal
» Escadaria Selarón
» Noite na Lapa
» Santa Teresa + Parque Ruínas
» Maracanã
» Cristo Redentor
» Bondinho do Pão de Açúcar
» Pobreta ou Mureta da Urca
» Pôr do sol na Pedra do Arpoador
» Fim de tarde no Forte de Copacabana
» Praias
» Jardim Botânico do Rio de Janeiro
» Parque Lage

Para ver fotos, detalhes e preços de cada uma destas atrações, recomendo que leia o texto “19 dicas do que fazer no Rio de Janeiro”.

Museu do Amanhã - Dicas
Museu do Amanhã
Pão de Açúcar
Bondinho do Pão de Açúcar

» Clique aqui para ver preços e reservar os melhores passeios no Rio de Janeiro

6- Praias no Rio de Janeiro

Não há viagem ao Rio de Janeiro que esteja completa sem dedicar ao menos uma manhã ou tarde para as suas praias.

Na zona sul da cidade, bairros onde os turistas normalmente se hospedam, elas farão parte da paisagem diária dos forasteiros. Além do clássico trio Leblon, Ipanema e Copacabana, a Praia do Leme e a Praia Vermelha da Urca são bons lugares para estender a canga. 

Para fugir de multidões, o melhor plano é ir até as distantes praias da zona oeste do Rio, como Praia da Barra da Tijuca, Praia do Recreio e Praia da Macumba. Estão longe do eixo turístico, porém, atualmente, já dá para chegar de metrô até a Barra.

Em todas estas praias há estrutura de barracas improvisadas na areia que garantem cadeira, guarda-sol e bebida gelada. Para comes, o comum é enganar a fome com os petiscos que os ambulantes passam vendendo. Portanto, ter dinheiro trocado costuma ser bastante útil.

Dois clássicos das areias que certamente passarão vendendo são o mate gelado e o biscoito Globo. Porém, a oferta para forrar o estômago inclui esfihas, empadas, salada de frutas e até mesmo hambúrgueres.

Rio de Janeiro dicas
Praia do Leblon
Praia da Barra da Tijuca
Barra da Tijuca

7- E a tal da segurança no Rio de Janeiro?

Para muitos viajantes, a segurança no Rio de Janeiro – ou a falta dela – é um ponto crítico da viagem. E é claro que a preocupação não é em vão.

As constantes tragédias relacionadas a assaltos, tiroteios e outros tipos de violência, não são mentira. Infelizmente, é a triste realidade de milhares de cariocas que sofrem com isso dia após dia, há alguns anos.

Desigualmente, no entanto, a realidade do Rio de Janeiro turístico, e dos mais privilegiados que moram nos bairros considerados nobres da zona sul da cidade, é bem diferente.

Veja bem, não estou falando que não há assaltos e violência em bairros como Leblon, Ipanema e Copacabana. No entanto, é inegável que a vida por estas bandas é completamente diferente – e mais segura – do que nos bairros mais afastados do eixo central. 

Se você nunca foi ao Rio, saiba que a cidade continua fervilhando de turistas. Praias cheias, filas enormes para visitar o Cristo e noites animadíssimas, ainda é o outro lado da moeda que contrasta com tantas manchetes de jornais que nos causam medo de viajar para o Rio de Janeiro.

A verdade, é que para o turista comum, que toma os cuidados que tomaria em qualquer metrópole latino-americana, ou que ao menos deveria tomar, a chance de problemas durante a viagem talvez não seja tão grande quanto possa parecer.

Boulevard Olímpico
Boulevard Olímpico: Área revitalizada na região central do Rio de Janeiro

8- Roteiro de 4 dias no Rio de Janeiro

Abaixo deixarei uma sugestão de roteiro de viagem ao Rio de Janeiro com duração de quatro dias inteiros.

Tenha em mente que essa é uma programação válida, principalmente, para quem ainda não conhece a cidade – já que contempla as atrações mais clássicas do Rio.

No entanto, lembre-se de que o Rio de Janeiro é cheio de possibilidades. Caso queira fazer um roteiro menos óbvio logo na primeira viagem, sinta livre para adequar a programação de acordo com as suas preferências.

Primeiro dia: Free Walking Tour no Centro (manhã), Santa Teresa + Parque Ruínas (tarde), Lapa (noite).

Segundo dia: Cristo Redentor (manhã), Maracanã (início da tarde), Bondinho do Pão de Açúcar (fim de tarde).

Terceiro dia: Mural Etnias + Museu do Amanhã + Museu de Arte do Rio de Janeiro (manhã), Praia de Copacabana (tarde), Forte de Copacabana (fim de tarde).

Quarto dia: Parque Lage + Jardim Botânico + Lagoa Rodrigo de Freitas (manhã), Praia do Leblon ou Praia de Ipanema (tarde), Pedra do Arpoador (pôr do sol).

Por fim, caso tenha ficado com alguma dúvida ou tenha outras dicas de viagem ao Rio de Janeiro, deixe um comentário abaixo! 🙂

3 lugares para se hospedar no Rio de Janeiro

($) Para os viajantes que procuram um albergue, o El Misti Hostel é uma das opções mais bem cotadas da cidade.

($$) Quem faz questão de privacidade, mas não quer gastar uma fortuna, a  JM Guesthouse Ipanema tem um ótimo custo-benefício.

($$$) Podendo investir um pouco mais, vale conferir as suítes do Hotel Atlântico Rio.

» Se preferir, clique aqui e confira outras ofertas de hospedagem no Rio de Janeiro.

Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here