Assim que decidi para onde seria minha trip, a primeira coisa que fiz foi procurar uma guia de viagem pela América Central. Afinal, como viajaria por vários países, achei que valeria a pena o investimento.

Depois de algumas pesquisas no Google, descobri que não havia nenhum em português. E pra ser bem sincero, eram raros os sites que falavam dos destinos que eu pretendia conhecer.

A cada dia que passava as minhas dúvidas só aumentavam. “Será para entrar na Nicarágua eu preciso de visto?”. “Como vou fazer pra chegar às fronteiras?”. “Quais cidades conhecer em El Salvador?”.

Essas eram apenas algumas incertezas que sondavam a minha mente.

Depois de muito tempo pesquisando e de ter conseguido pouquíssimas informações, cheguei ao Panamá sem um roteiro definido e ainda com muitas lacunas a preencher no planejamento da minha viagem.

Foi na prática, com muitos erros e acertos, que eu fui aprendendo como viajar pela América Central. No final, claro, deu tudo certo. Mas confesso que minha trip teria sido mais fácil em diversos momentos se eu tivesse algumas dicas como essas de antemão.

Portanto, se você quer descobrir absolutamente tudo o que precisa saber para planejar sua viagem à América Central, você está no lugar certo.

Precisa de uma força para organizar sua viagem?

Meu e-book “América Central | 15 Roteiros Surpreendentes ” certamente pode te ajudar!!!

» Clique aqui para baixar agora

# Guia de viagem pela América Central

» Documentos, vistos e vacinas
» Qual a melhor época para viajar pela América Central?
» Principais destinos turísticos na América Central
» Transporte pela América Central
» Fronteiras na América Central
» Quanto custa viajar pela América Central?
» Dinheiro, como levar?
» Culinária pela América Central
» É seguro viajar pela América Central?
» Contratar Seguro viagem para América Central

# Documentos, vistos e vacinas

Para nós, brasileiros, viajarmos a turismo pelos países da América Central, é obrigatório ter passaporte com validade mínima de seis meses.

Por outro lado, não é necessário solicitar nenhum visto previamente. Em alguns países você até terá que pagar uma taxa de entrada e/ou saída que eles chamam de visto, mas isso acontecerá somente na hora da imigração, quando você já estiver no país.

Vacina contra febre amarela é um item indispensável. Lembre-se de tomá-la pelo menos 10 dias antes da sua data de embarque e de emitir o Certificado Internacional de Vacinação Contra a Febre Amarela.

Na Costa Rica, Belize e Panamá, muitas vezes é solicitado na hora da imigração um comprovante de que você realmente sairá do país. Ou seja, suas passagens de volta para o Brasil, ou para algum outro destino.

Se você pretende viajar a América Central de ponta a ponta, e quiser comprar uma passagem de ida para o Panamá e volta pelo México, por exemplo, ela é aceita como comprovante.

Confesso que nunca me pediram isso, mas vi pedindo para muitos outros viajantes.

Outro detalhe é que para cada país há um período diferente de permissão para viajar. No Panamá recebi no meu passaporte um carimbo me permitindo viajar por até 90 dias. Na Costa Rica seria para ser mais 90 , mas recebi apenas 60 dias.

Na Nicarágua, Honduras, El Salvador e Guatemala, podemos viajar durante 90 dias pelos quatro países, e não 90 dias em cada um deles.

Em Belize recebi permissão somente para duas semanas, e não 30 dias como imaginava que receberia.

Seguro viagem para América Central

Apesar de não ser obrigatório, recomendo que você contrate um seguro viagem para sua viagem pela América Central. Aliás, esse é um cuidado que, na minha opinião, devemos ter em qualquer ocasião em que vamos sair do nosso país.

Uma boa plataforma para contratar seu seguro é a Seguros Promo. Lá você encontrará planos de diversas seguradoras que custam a partir de R$ 15,00 por dia de viagem.

Além disso, saiba que utilizando o cupom VOLTOLOGO5 você ganha 5% de desconto. E, fazendo o pagamento através de boleto bancário, pagará mais 5% a menos. Portanto, sua economia pode chegar até 10%.

Se acaso quiser fazer uma cotação online, clique aqui.

# Qual a melhor época para viajar pela América Central?

A alta temporada na América Central vai de dezembro até meados de abril. Essa é considerada a época mais seca por lá, o que como consequência atrai muitos viajantes que querem aproveitar dias de sol nas suas belíssimas praias.

Lembre-se, porém, que mais turistas é sinônimos de preços mais altos, portanto, se você quiser economizar, essa não será a época ideal.

O período de chuvas frequentes começa no mês de maio e vai até a primeira quinzena de outubro, sendo que no final desse mês e em novembro elas já são mais escassas.

Aliás, apesar de ser muito importante você saber quando é a alta temporada, época de chuvas e seca de uma região turística, não fique muito preso a essas informações. Digo isso porque cada país e até mesmo região de um país possui suas particularidades. E se você não for viajar por toda a América Central, você deve olhar para o seu destino especifico.

Além disso, há outro fator importantíssimo que afeta a época de chuvas em uma determinada cidade da América Central: se ela está localizada na costa pacifica, na costa caribenha, ou na região central do continente. Verifique onde está o seu destino e lembre-se de que a costa do Caribe é bem mais úmida do que as outras regiões.

guia de viagem pela América Central
Pôr do Sol em San Blás, no Panamá

# Principais destinos turísticos na América Central

Vou falar rapidamente sobre os principais destinos turísticos na América Central, pois no texto “21 lugares para conhecer na América Central” eu já detalhei cada um deles.

No Panamá, meu lugar favorito foram as ilhas caribenhas de San Blás. Também recomendo que você conheça a capital panamenha (Cidade do Panamá) e Bocas del Toro.

A Costa Rica possui diversos polos turísticos no seu pequeno território. Recomendo fortemente que você visite Monteverde, La Fortuna e o Parque Nacional Manuel Antonio.

A pouco explorada Nicarágua também merece alguns dias no seu roteiro de viagem pela América Central. Aproveite para conhecer as belezas de San Juan del Sur, Isla Ometepe, Granada e León.

Em El Salvador vale a pena ter a cidade de Santa Ana como base para conhecer lugares como o Lago Coatepeque, Vulcão Santa Ana e a Ruta de las Flores.

Na Guatemala, não deixe de visitar o Lago Atitlán, Antigua, Semuc Champey e as Ruínas de Tikal.

Em Honduras conheci apenas a pequena cidade de Copán Ruínas. Mas fala-se muito bem do litoral hondurenho.

Por fim, em Belize, relaxe por alguns dias em Caye Caulker e aproveite para visitar outros lugares desse país ainda pouco conhecido por nós, como por exemplo, Xunantunic, Placencia e Hopkins.

Cidade do Panamá
Cidade do Panamá

# Transporte pela América Central

Eu sei, as passagens aéreas para América Central são bem caras.

E, depois de chegar nessa região, você terá basicamente mais cinco opções para se locomover por lá: avião, ônibus convencional, shuttle (transfer), chicken bus e os barcos para chegar até algumas ilhas.

Para saber quais as vantagens, desvantagens e preços de cada um deles, leia o artigo “Como viajar pela América Central: dicas para se locomover por céu, terra e mar”.

San Juan del Sur
San Juan del Sur, na Nicarágua

# Fronteiras na América Central

Uma das minhas preocupações quando decidi viajar por terra entre todos os países da América Central, era de como seria cruzar as fronteiras terrestres. E hoje, posso dizer que foi bem mais tranquilo do que eu imaginava.

Basicamente em todas elas será a mesma situação: você pega um ônibus que vai a fronteira do país que você está, faz os tramites de saída desse país, anda um trecho a pé, faz os tramites de entrada no outro país, anda mais alguns metros a pé até o ponto de ônibus ou táxi, e segue viagem.

Mesmo sendo só isso, vou deixar mais algumas dicas importantes:

» Nem todos os postos de fronteira são 24 horas, portanto, fique atento ao horário de funcionamento.

» Se você fará toda a sua viagem com transporte público (chicken bus), sugiro que comece o dia bem cedo. Muitas vezes é necessário pegar vários ônibus para chegar até o destino que você quer, e é melhor não fazer isso durante à noite.

» Os ônibus da empresa Ticabus, e também os shuttles (transfers), podem viajar por estradas de todos os países. Ou seja, na hora de cruzar a fronteira você apenas desce para fazer os tramites de saída e entrada, mas seguirá viagem no mesmo veículo. Essa é uma das vantagens de se pagar mais caro por esses transportes.

» Certifique-se de que recebeu os carimbos de entrada e saída do país com as datas corretas.

» Em muitas fronteiras é necessário pagar uma taxa de entrada ou saída. Tenha sempre algum dinheiro trocado para isso.

» É comum haver muitos cambistas dos dois lados da fronteira. Não se sinta intimidado e nem apressado por eles. Se precisar trocar um pouco de dinheiro, faça as contas da conversão com calma e confira o valor que receber.

fronteiras na América Central
Fronteira entre Guatemala e Honduras

# Quanto custa viajar pela América Central?

Depois de gastar boa parte do seu orçamento de viagem com as passagens aéreas, os restantes dos gastos de uma viagem pela América Central são bem baratos na Guatemala, Honduras, El Salvador e Nicarágua; razoavelmente barato no Panamá, e um pouco caro para o padrão latino-americano em Belize e Costa Rica.

Nos países mais baratos, eu gastava uma média de US$ 30,00/dia com refeições econômicas, quarto compartilhado em hostels e passagens de transporte público.

No Panamá, os gastos com os mesmos itens ficavam em torno de US$ 40,00/dia.

Em Belize e Costa Rica entre US$ 40,00 e US$ 50,00/dia.

Para saber exatamente quanto custará cada item da sua viagem, em cada país, e de acordo com o seu perfil viajante, recomendo que leia o post “Quanta custa uma viagem pela América Central”.

Além disso, lembre-se de que você deve incluir outros gastos no seu orçamento, como passeios, vida noturna, taxas de imigração e seguro viagem.

# Dinheiro, como levar?

Com exceção do Panamá e El Salvador, que utilizam o dólar americano como moeda oficial, todos os outros países da América Central têm a sua própria moeda. Mesmo assim, independente de qual seja o seu destino, a minha recomendação é que você leve dólar americano.

Além de ser super fácil de trocar, em qualquer casa de câmbio ou até mesmo banco, muitos estabelecimentos, principalmente na Costa Rica e Belize, aceitam que você pague a sua conta com a moeda americana. Nesses casos, se você precisar de troco ele será feito na moeda local.

Ah… Dê preferência em levar notas de valor abaixo de US$ 50,00. As cédulas de US$ 50,00 até que são bem aceitas, mas a de US$ 100,00 pode te dar um pouco de trabalho para trocar fora dos bancos e casas de câmbio.

Cartões de crédito, apesar de não ser tão comum como no Brasil, são bem aceitos no Panamá e na Costa Rica. Nos outros países seu uso é limitado. Em hotéis, restaurantes não populares, supermercados e agências de turismo, provavelmente você conseguirá usar. Mas em hostels e restaurantes mais econômicos talvez não.

O Visa Travel Money e outros cartões pré-pago, também é uma boa opção para você poder sacar dinheiro na moeda local. Praticamente toda cidade turística possui ao menos um caixa eletrônico para você sacar dinheiro.

Mas atenção. Eu disse praticamente todas e não todas. Em Lanquín, na Guatemala, não havia nenhum quando visitei. Cidades pequenas e ilhas, muitas vezes possuem apenas um e não é raro estarem com problema. É bom sempre ter um pouco de dinheiro em espécie quando for visitar esses tipos de cidade.

Granada
Granada, na Nicarágua

# Culinária pela América Central

Apesar de possuir suas particularidades, não espere nada muito fora do padrão para suas refeições na América Central.

O arroz e feijão, assim como no Brasil, são dois ingredientes muito consumidos por lá, especialmente na Costa Rica e Nicarágua. A maior diferença é que o feijão dificilmente será feito com aquela generosa quantidade de caldo que estamos acostumados. Normalmente ele é bem seco e frito junto com o arroz. O nome dado a essa combinação é Gallo Pinto, muitas vezes consumido até no café da manhã.

A tortilla é um componente presente em praticamente todas as refeições. Trata-se daquela massa fininha feita com farinha de milho ou trigo, utilizada para fazer burritos, wraps e outros pratos.

Com uma massa bem parecida a da tortilla, se faz a Balleada em Honduras, e a pupusa em El Salvador. São pratos típicos desses países que levam saborosos recheios no meio dessa massa.

Os frutos do mar, leite de coco e plátano, são outros ingredientes muito utilizados por lá.

pratos típicos na América Central
Café da manhã na América Central

Leia também: Meus 10 pratos favoritos na América Latina

# É seguro viajar pela América Central?

Uma das dúvidas mais frequentes que recebo por e-mail sobre viajar pela América Central é relacionada a questão de segurança.

As poucas informações que recebemos nas mídias tradicionais sobre esses países, na maioria das vezes, estão relacionadas a conflitos entre gangues, tráfico de drogas, aumento de violência e sobre algumas das cidades mais violentas do mundo estarem ali, como São Pedro Sula (Honduras), Belize City (Belize) e San Salvador (El Salvador).

Pois bem… Qualquer semelhança desses problemas centro-americanos com o nosso Brasil, não é mera coincidência. Tudo isso faz parte da realidade de TODOS os países latino-americanos – principalmente nas grandes cidades.

Se eu te falasse que é completamente seguro viajar por lá e que nada pode te acontecer, estaria mentindo. Mas o fato é, que em seis meses de viagem por todos os países da América Central, mais o México, nunca tive nenhum tipo de problema relacionado à segurança. E tampouco os outros viajantes que conheci durante a trip.

Mesmo assim vou deixar aqui algumas orientações. Tenho certeza de que da mesma forma que elas me ajudaram a não ter nenhum inconveniente durante a viagem, também serão úteis para você.

Cuidados com segurança para viajar pela América Central

» Evite pegar a estrada durante à noite. Seja dirigindo por conta própria, ou até mesmo em viagens intermunicipais com o transporte público.

» Evite pegar táxis acenando na rua. Sempre que possível peça para o estabelecimento de onde estiver (hotel, restaurante…) fazer uma ligação solicitando um. Se estiver voltando de algum lugar, procure um ponto especifico de onde saem vários veículos.

» Não ande sozinho durante à noite em regiões desertas e pouco movimentadas da cidade, incluindo praias.

» Se informe sobre a segurança do destino que está visitando com as pessoas que vivem por lá, seja com algum funcionário do hotel ou outra pessoa. Pergunte se existe algum bairro que você deva evitar, se é tranquilo andar sozinho durante à noite.

» Atenção com seus pertences em lugares com grande aglomeração de pessoas, como por exemplo, estações de metrô, rodoviária e mercados de rua.

» Não carregue muito dinheiro na carteira.

» Evite andar com celular e outros pertences de valor na mão.

» Em diversos destinos da América Central é bem comum escutar pessoas locais oferecendo drogas aos turistas, principalmente em cidades litorâneas. Evite e ignore qualquer pessoa que venha com esse papo para o seu lado.

guia de viagem pela América Central

 

Avatar para Anônimo
Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

22 COMENTÁRIOS

  1. Boa noite Murilo. , Quero fazer isso aí porém de moto. O que sugere ? Tranquilo de fazer lembrando que vou sair do rio fazer o mercosul e parar na Colômbia. De lá iria pro Panamá. Qual sua sugestão. Minha ideia de viagem seria de 12 a 18 meses ao todo

    Abraços.

    • Oi Felipe, tudo bem?

      Que bacana, é um belo roteiro. E com esse tempo você conseguirá aproveitar bastante!

      Tenho zero experiência com viagem de carro/moto, mas acho que o ideal é se informar muito bem sobre a situação das estradas/rota. Preferencialmente com alguém que tenha viajado dessa maneira recentemente. Também consulte como é a burocracia para viajar de um país para outro com a moto.

      Abraço

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here