Patagônia argentina: Sete dicas de viagem que você não deveria ignorar na hora de planejar seu roteiro. Descubra agora o que esperar de um mochilão por esta região, qual a melhor época para viajar, quais são os principais destinos, como se locomover quais são os principais gastos.
Salve esta imagem no seu Pinterest!!!

Não escondo de ninguém: para mim, a Patagônia argentina é um dos lugares mais lindos da América do Sul. Suas montanhas, às vezes congeladas e em outros momentos coloridas, formam paisagens de deixar o mais exigente dos viajantes de queixo caído. Lagos, geleiras e até mesmo animais selvagens, ajudam a compor cenários que fazem por merecer um espaço na nossa estante com porta-retratos de viagem.

Presenciar tamanha beleza é uma recompensa que faz jus a distância que temos que percorrer, ao frio que podemos sentir, e claro, ao investimento $$$ necessário. Afinal de contas a Patagônia não é nem de perto um dos destinos mais baratos para viajar na América Latina.

Mas vale a pena. E como vale. Tanto vale que eu, mão-de-vaca que sou – e que até pouco tempo atrás tinha a mania de não querer repetir destinos – já sabia assim que regressei ao Brasil, que um dia eu ainda vou voltar para os destinos do fim do mundo.

Enquanto este dia não chega, faço questão de compartilhar contigo algumas dicas que considero indispensáveis para organizar uma viagem pela Patagônia argentina. O destino que escolhi para fazer meu primeiro mochilão sozinho, no distante ano de 2013.

Leia também: Ushuaia, El Calafate e El Chaltén | Entenda a Patagônia argentina

# Se preferir, clique e vá direto ao que procura

1- O que esperar de uma viagem pela Patagônia Argentina
2- Quando ir
3- Principais destinos
4- Roteiro clássico pela Patagônia argentina
5- Como se locomover
6- Câmbio
7- Principais gastos

1- O que esperar de uma viagem pela Patagônia argentina

A Patagônia, tanto a argentina quanto a chilena, é uma região pra quem curte estar diante de paisagens naturais de tirar o fôlego. Ou seja, as atividades e passeios serão em sua maioria ao ar livre. Os apaixonados por trilha dificilmente se decepcionam com um mochilão por essas bandas.

Mas como tudo tem um preço, é importante lembra-lo de que este é um dos destinos mais caros da América do Sul. É claro que, como em qualquer lugar, é possível encontrar maneiras para economizar. No entanto, a média de preços de hospedagem e alimentação pode assustar os viajantes mais econômicos.

Outro item que pesa no orçamento são os passeios. Porém, não tem como ir pra Patagônia argentina e deixar de conhecer alguns dos lugares mais lindos do nosso continente por falta de grana, certo?! O melhor a fazer é se planejar muito bem antes da viagem e juntar $$$ suficiente para os passeios. Obviamente você não precisa fazer todos os tours e visitar todos os lugares de cada cidade, mas, ainda assim, esse item será responsável por boa parte das suas despesas.

Também espere gastar longas horas na estrada. Principalmente se sua ideia é viajar apenas por terra. Dependendo do seu roteiro, alguns deslocamentos podem levar mais de quinze horas dentro de um ônibus.

Patagônia argentina - El Chaltén
El Chaltén

Leia também: Seguro viagem para a Argentina | Dicas indispensáveis

2- Quando ir

A alta temporada na Patagônia vai de novembro até a primeira quinzena de março, sendo janeiro e fevereiro os meses mais concorridos. Neste período o número de turistas aumenta, os preços sobem, os dias ficam mais longos e a temperatura menos congelante – ideais para as atividades ao ar livre, que é a grande atração da Patagônia.

Já durante o inverno o cenário se inverte, inclusive, as paisagens mudam de roupa. A neve começa a encobrir as montanhas, o que as deixa ainda mais deslumbrantes e geladas. No final de abril, maio, junho e julho parte dos passeios podem ser comprometidos pelo mal tempo. Para quem faz questão de percorrer as famosas trilhas de El Chaltén, recomendo que vá durante o verão.

O tempo frio continua em agosto e imprevistos podem acontecer, mas a viagem já começa a ser mais viável. A Gisele e o Adriano, do blog Viajei Bonito, estiveram lá neste mês e aproveitaram para fazer diversos passeios em Ushuaia, o tour de um dia em Torres del Paine (Patagônia chilena), e visitaram também o imponente Perito Moreno, no Parque Nacional los Glaciares.  

Com a chegada da primavera, em setembro e outubro as nevascas começam a dar uma trégua e aos poucos a temperatura volta a ficar mais agradável. A segunda quinzena de outubro pode ser uma época atraente para quem quer fugir das multidões, dos preços altos, e, ainda assim, correr menos risco com o tempo ruim.

E por último, vale lembrar de que o clima na Patagônia pode surpreender a qualquer momento. Embora as previsões e o histórico dos anos anteriores sirvam para nos nortear, não é garantia de que as mesmas condições climáticas se repetirão.

Patagônia argentina - El Calafate
O mini-trekking pelo Glaciar Perito Moreno NÃO acontece durante o inverno.

3- Principais destinos

Embora não estejam localizados no extremo sul, Puerto Madryn, Península Valdés e Trelew são considerados destinos que fazem parte da Patagônia Atlântica – uma região bastante diferente das cidades que estão mais ao sul. Essa é uma zona muito interessante para quem gosta de observar animais marinhos no seu habitat natural.

No entanto, para incluir estes lugares da Patagônia argentina em um mesmo roteiro com destinos mais procurados – como Ushuaia, El Calafate e El Chaltén – é necessário pensar com bastante atenção na logística, além de ter mais tempo livre. Na minha opinião, é mais prático combinar estas cidades em uma viagem pela região dos lagos (Bariloche, San Martín de los Andes e Villa la Angostura), do que com os outros.

Rumo à região mais austral do nosso continente, você encontrará alguns dos destinos clássicos da Patagônia argentina: Ushuaia, El Calafate e El Chaltén. A primeira é conhecida por muitos como a “La Ciudad del fin del Mundo”, a segunda é a porta de entrada para conhecer o Glaciar Perito Moreno, e a última é a queridinha dos trilheiros de plantão.

Lembrando ainda que não muito longe de El Calafate está o Parque Nacional Torres del Paine, uma das maravilhas do território chileno.

Patagônia chilena
Parque Nacional Torres del Paine

Leia também: 12 cidades que você precisa conhecer na Argentina

4- Roteiro clássico pela Patagônia argentina + Torres del Paine (Chile)

Dezesseis dias. Este é o tempo mínimo que eu recomendo para fazer uma viagem pela Patagônia argentina, e ainda conhecer um dos parques nacionais mais belos do Chile. Nesse período é possível visitar Ushuaia, Torres del Paine, El Calafate e El Chaltén, sem muita afobação. Com catorze dias ainda é possível visitar todos esses lugares, mas sua trip pode ser bastante cansativa. Menos que isso eu optaria em deixar alguma cidade de fora do roteiro.

Caso você queira conhecer o parque chileno por trilha, deverá acrescentar alguns dias na viagem, que pode variar dependendo de qual circuito você escolher.

O primeiro dia será todo dedicado para chegar até Ushuaia. Depois dessa longa jornada os três dias seguintes serão para explorar suas principais atrações turísticas e passeios. O próximo destino será Puerto Natales, no Chile – a cidade base para visitar Torres del Paine. Este deslocamento deve custar um dia inteiro das suas férias. O dia seguinte será para descansar e organizar seu passeio até o parque, que levará mais um dia completo da sua trip.

O próximo trecho a percorrer é até El Calafate, onde você estará de volta à Patagônia argentina. Saindo cedo de Puerto Natales você deve chegar a Calafate depois do almoço. Aproveite o fim do dia para caminhar pela agradável Avenida San Martín, e para deixar tudo em ordem para o seu passeio ao Parque Nacional los Glaciares, onde encontrará o grandioso Perito Moreno. O dia seguinte pode ser usado para fazer algum passeio alternativo em El Calafate.

O último destino desta trip será El Chaltén, que está a aproximadamente quatro horas de El Calafate. Além do dia de chegada e partida, reserve mais três dias inteiros para se encantar com algumas das paisagens mais lindas da Patagônia argentina. Depois disso será preciso passar por El Calafate mais uma vez antes de voltar para casa.

Perito Moreno - Patagônia Argentina
Glaciar Perito Moreno

Leia também: Dicas indispensáveis par organizar um mochilão pela Argentina

5- Como se locomover

Há várias maneiras de se locomover por este roteiro sugerido. Tudo depende do seu orçamento, ou se você está disposto e tem tempo de passar boas horas dentro do ônibus.

»»» Opção 1: Avião

Uma boa alternativa de fazer essa viagem pela Patagônia argentina é comprando uma passagem aérea múltiplos destinos. Um bilhete que inclua os trechos São Paulo – Ushuaia, Ushuaia – El Calafate, e El Calafate – São Paulo, deve custar entre R$ 1.800,00 e R$ 2.000,00. Neste caso, apenas atente-se de que precisará fazer o deslocamento El Calafate – Torres del Paine por sua conta. Há agências em El Calafate que fazem o tour de um dia até Torres. É cansativo e você passará a maior parte do dia em uma van, mas não deixa de ser uma opção prática.

Se não quiser fazer o bate-volta, a alternativa é ir de ônibus por conta própria até Puerto Natales, no dia seguinte conhecer Torres del Paine com alguma agência da cidade chilena, e no outro dia voltar de ônibus para El Calafate, de onde sai o seu voo de volta para casa. Neste caso, além das passagens de ida e volta (de ônibus) você também terá o custo de duas diárias para a hospedagem em Puerto Natales.

A empresa de ônibus Cootra faz o deslocamento El Calafate – Puerto Natales, a viagem leva cerca de seis horas e custa aproximadamente R$ 115,00 (cada trecho).

Patagônia Argentina - Parque Tierra del Fuego
Trem turístico no Parque Nacional Tierra del Fuego, em Ushuaia

»»» Opção 2: Avião + ônibus

Outra possibilidade é comprar a passagem aérea com ida para Ushuaia e volta por El Calafate. Saindo e voltando por São Paulo a brincadeira custará cerca de R$ 1.600,00. Todos os outros deslocamentos serão de ônibus.

De Ushuaia você precisará passar em Punta Arenas antes de ir finalmente para Puerto Natales. A Buses Pacheco, Buses Barria e Tecni Austral são algumas empresas que fazem esta rota. A viagem leva cerca de catorze horas e custa R$ 160,00.

De Punta Arenas a Puerto Natales são mais três horas e meia na estrada e a passagem custa R$ 40,00.

Eu consegui fazer de Ushuaia a Puerto Natales em um mesmo dia. O ônibus não estava cheio e, por isso, o tramite nas fronteiras foi bem rápido. No entanto, dependo do caso talvez seja necessário passar uma noite em Punta Arenas.

De Puerto Natales para El Calafate a empresa Cootra é quem leva a maioria dos passageiros. A viagem leva cerca de seis horas e custa R$ 115,00.

Para ir de El Calafate a El Chaltén espere passar três horas e meia na estrada, e gastar cerca de R$ 120,00 pela passagem. As empresas Taqsa, Chaltén Travel, CalTur operam essa linha.

»»» Opção 3: Avião (ida e volta pelo mesmo destino) + ônibus

Supondo que você precise começar e terminar sua viagem em Ushuaia, já que comprou uma passagem aérea promocional com ida e volta pelo mesmo destino, você poderá fazer todos os deslocamentos de ônibus indicados na opção 2, e acrescentar mais um trecho. No caso, de El Calafate para Ushuaia.

A primeira etapa é ir de El Calafate a Rio Gallegos: cerca de quatro horas e R$ 120,00. Já de Rio Gallegos para Ushuaia são mais doze horas e R$ 200,00. A empresa Taqsa/Marga opera os dois trechos. Já a Tolkar Turismo pode ser útil entre Rio Gallegos e Ushuaia.

ATENÇÃO

Durante a baixa temporada os horários de ônibus podem ser escassos. Se for viajar nesta época, entre em contato com a empresa e verifique quais são os dias e horários de partida. Ou melhor, faça isso até mesmo nos meses de alta temporada. Afinal, é comum que as empresas tenham dias específicos para fazer determinadas rotas, fique atento!

Leia também: 3 roteiros de mochilão pela Argentina 

Roteiro de carro pela Patagônia argentina e chilena (no blog Apure Guria)

6- Câmbio

Antes de chegar a Patagônia argentina você certamente fará uma conexão em Buenos Aires. Aproveite esse tempo para trocar seu dinheiro (dólares ou reais) para pesos argentinos, mesmo que seja no Banco de la Nación dos aeroportos. Aliás, atualmente a cotação deste banco é uma das melhores que você encontrará na Argentina.

Não leve reais para a Patagônia, a cotação é péssima. Caso sua conexão seja curta e você não tenha tempo de trocar dinheiro, leve dólares para a Patagônia.

Depender 100% de um cartão de crédito é algo que eu não recomendo durante uma viagem pela Argentina. Esta forma de pagamento não é tão comum quanto no Brasil. Leve como garantia, mas antes de consumir algo procure saber se o estabelecimento realmente aceita.

7- Principais gastos

Além dos preços com deslocamentos que já foram mencionados, é importante ter uma noção de quanto você gastará com hospedagem, alimentação e passeios. É claro que estes três itens são muito pessoais e a variação de viajante para viajante pode ser enorme. No entanto, ainda assim, deixarei algumas orientações para que você possa ao menos ter uma referência.

*** Lembrando mais uma vez que os preços são apenas uma média e podem variar de acordo com a temporada, cidade e padrão do estabelecimento. (Novembro/2017)

»»» Acomodação

Quem fica em albergue consegue encontrar bons dormitórios compartilhados por R$ 75,00 a diária, já com café da manhã. Quem não faz questão da primeira refeição do dia encontra camas que custam em torno de R$ 50,00.

Quem faz questão de ficar em um hotel ou pousada, ainda que econômico, espere gastar entre R$ 270,00 e R$ 350,00 pela diária em uma suíte para duas pessoas.

A partir de R$ 360,00 é possível encontrar diárias em hotéis bastante confortáveis e bem cotados.

Leia também: Guia de hospedagem pela Patagônia argentina e chilena

»»» Alimentação

Já adianto que se você fizer todas as refeições em restaurantes sua conta não será salgada. Almoçar e jantar fora custa caro na Patagônia argentina. Uma solução adotada por quem quer economizar é comprar alimentos no mercado para fazer a própria comida, ou apelar para as empanadas e pizzas.

Um café da manhã com algumas media lunas e um cappuccino deve te custar entre R$ 15,00 e R$ 20,00. Já um almoço ou jantar dificilmente custará menos de R$ 40,00 ou R$ 50,00.

»»» Passeios

Há uma infinidade de passeios para fazer na Patagônia argentina. Indico que você entre em contato com alguma agência local e solicite o orçamento das principais atrações.

Em Ushuaia você pode contatar a All Patagonia, Brasileiros em Ushuaia e a PiraTour. Esta última é a empresa responsável por fazer os passeios pela Pinguinera, na Isla Martillo.

Patagônia
Passeio barato em Ushuaia: Glaciar Martial

Em El Calafate muitas agências oferecem passeios que vão até as passarelas do Glaciar Perito Moreno. No entanto, se sua intenção for caminhar sobre o gelo através de um mini-trekking, procure diretamente a empresa Hielo y Aventura. Já se as vistas do mirante estão de bom tamanho, a All Patagonia também pode te auxiliar neste passeio.

Em El Chaltén a boa notícia é que você não precisa gastar para fazer as trilhas do pequeno vilarejo. Você pode ir por conta própria, sem a necessidade de guias ou agências. Certifique-se apenas de levar um mapa da região e fique atento a sinalização das trilhas. E claro, água, protetor solar e lanchinhos não fazem mal a ninguém.

*** Nota: Este texto foi publicado originalmente no dia 21/11/2017, e atualizado pela última vez no dia 18/12/2018.

Evite este erro na sua viagem à Patagônia

Não contratar um bom seguro para sua viagem à Patagônia é um erro do qual você não gostará de se arrepender. Ainda mais quando descobrir que ele pode custar muito menos do que você imagina.

Clique aqui e faça uma cotação online que compara os planos com melhor custo-benefício do mercado.

E, se sua viagem já estiver com as datas definidas, contrate um plano agora mesmo para não esquecer (e se arrepender) depois.

31 COMENTÁRIOS

    • Oi Reinaldo, tudo bem?

      Que bacana!

      Em outubro o frio já não é tão intenso como no inverno. Porém, precisa ir preparado para ele! ehhehehe

      Olha, não sou uma pessoa de sentir muuuito frio. O máximo de roupa junta (de uma vez) que usei lá foi:

      – 1 segunda pele + 1 blusa de lã + 1 moletom + 1 jaqueta corta vento
      – 1 calça de moletom + 1 calça tactel
      – 2 meias grossas
      – Luva e gorro esporadicamente

      Espero ter ajudado!

      Abraço

  1. Oi Murilo!
    Estou na frente do notebook pra comprar as passagens RJO – USHUAIA – EL CALAFATE – BUENOS AIRES – RJO para io período de 24/março à 08/abril, mas com medinho. .. rsrsrs… Não tenho idéia de quanto custaria o total desta viagem… será que consigo bancar? Você pode dizer de quanto eu precisaria para fazer esta viajem? Quero ficar em pousadas ou airbnb e não pretendo fazer Torres del Painel. .. vou deixar pra outra aventura. Consegue me dar uma ideia? Obrigada!! Bju, Liana

    • Oi Liana, tudo bem?

      Difícil te dar uma ideia porque depende muito de como você irá se locomover, quais cidades conhecerá e quais passeios irá fazer.
      Considerando que há passeios que custam até R$ 500,00 um deles pode fazer uma baita diferença no orçamento.
      Além disso estou por fora dos preços desta temporada, e se tratando da Argentina, há uma variação considerável de um ano pra outro.

      O ideal é que você faça uma conta rápida de acordo com o seu perfil!

      Desculpa não poder ajuda-la com maior precisão! =(

      Abração

  2. parabéns pela iniciativa Murilo!!
    agora fiquei com uma dúvida, eu vi uma foto sua no portal de El Chalten de bermuda e camiseta, será que as roupas que temos aqui para um inverno de São Paulo, por exemplo, são suficientes para passear pelas bandas de El Calafate, Chalten e Torres Del Paine durante o mês de Janeiro??
    vou p/ lá em janeiro e o que mais me preocupa é o que levar na mala? Será que devo comprar roupas apropriadas, calçados, etc ou será que os tenis “normais” e as roupas de inverno daqui de SP vai dar p/ quebrar o galho lá??? Me ajuda!! rsrs

    • Oi Roberta, tudo bem?

      Fui exatamente no mês de janeiro e peguei dias ensolarados com noites frias na maior parte da viagem.
      Como muitos passeios exigem atividade física, como as trilhas de El Chaltén, o corpo acaba esquentando em alguns momentos.

      Quando fui, comprei apenas uma blusona corta-vento, lá na Decathlon, sabe? O restante levei o que tinha mesmo (sou de Jundiaí-SP)
      Nos dias mais frios, o máximo que eu usei de roupa foi o seguinte: uma blusa de lã comum, um moleton comum e a blusona corta-vento por cima de tudo. Para as pernas, uma calça de moleton e uma de agasalho por cima. Meias teve alguns dias que eu usei duas, uma por cima da outra.

      Sobre calçados, eu já tinha uma bota de trilha. Caso você pretenda fazer trilhas também, recomendo as botas por elas serem mais quentinhas, e por terem mais impermeáveis do que tênis comum.

      Ahhh… Leve também um par de luvas e um gorro. Não custa nada se precaver! hehehe

      Caso você seja uma pessoa de sentir muito frio, pode incluir na mala uma segunda pele. Não é tão caro e costuma ajudar.

      Espero ter ajudado!

      Abração

  3. Adorei as dicas, Murilo! Parabéns!
    Pretendo ir à Patagônia no roteiro básico citado (Ushuaia ainda é uma dúvida) de 15 dias em novembro. Na parte chilena, a ideia é ficar 2 noites em Puerto Natales para fazer passeios com as agências e 1 noite dentro do parque. Vou sozinha e sem carro, você acha que é tranquilo? No mais, as trilhas de TdP e El Chaltén são bem sinalizadas para fazer por conta própria?
    obrigada e boas viagens!

    • Oi Val, tudo bem?

      Que bom que gostou das dicas! xD

      Acho que é tranquilo sim.. Também fui sem carro e não tive nenhum problema por conta disso.
      Em Torres, se você for com alguma agência fará a trilha com eles, certo?!

      Em El Chaltén é supeeer tranquilo. Inclusive, você certamente encontrará outros viajantes ao longo do caminho, o que deixará a caminhada ainda mais confortável.

      Abração!

      • Ótimo, Murilo!
        Sim, em TdP pretendo fazer dois passeios com agência, o trekking até a base das torres e aquele que percorre parte do parque em van. A noite no parque seria só um bônus. :))
        Obrigada pela respostas! Abraços!

  4. Murilo,
    parabens pelo seu site, muito util.

    ficando uns 15 dias por la em meados de outubro, passando pelos principais lugares e passeios citados no texto, sem considerar a alimentacao qual seria o preco aproximado

    obrigado

    • E ae Lucas tudo bem?

      Que bom que gostou do blog! 🙂

      Infelizmente estou por fora dos valores atuais de passeios. Além disso, o tipo de acomodação também influencia drasticamente nas despesas da viagem.

      O ideal é que você faça as contas de acordo com o seu perfil e com os valores atuais dos passeios que pretende fazer!

      Abração

  5. Olá,

    Estou planejando ir em setembro / agosto 2019.

    Uns 15 dias, queria muito incluir ushuaia mas me parece caro demais, partindo de são paulo, qual seria o roteiro que vc nos indica para conhecer o tango e neve com lindas paisagens nesse período.

    Valeu o blog e otimo.

    • Oi Paloma, tudo bem?

      A Patagônia de fato não dos destinos mais baratos na América Latina…
      Uma cidade cheia de trilhas incríveis, paisagens surreais e que você não precisa gastar com passeios é El Chaltén, a umas quatro horas de El Calafate.

      Uma boa rota é Buenos Aires – El Calafate – El Chalten… Apenas atente-se que é baixa temporada nesta época e você deve se organizar bem com relação aos passeios e passagens, pra não ficar na mão!

      Abração,

  6. Olá Murilo, estou indo para Argentina em 09/04/2018, ficarei em Palermo.
    Quais as atrações que você acho que deverei fazer?
    Gostaria muito de ir para Bariloche, você avha que vale a pena irei ficar 06 dias.
    o que você me indicaria

    • Oi Gabriele, tudo bem?

      O total da viagem é de seis dias? Se for isso mesmo, recomendo que aproveite o máximo que puder de Buenos Aires.
      Incluir outra cidade fará que você perca muito tempo com deslocamento, e a capital tem atrações pra mais de uma semana!

      No link abaixo você encontra todas as minhas dicas de Buenos Aires!
      Acho que pode te ajudar! 🙂

      >>> https://www.voltologo.net/tag/buenos-aires/

      Abração!

  7. Muito bom suas dicas Murilo, eu pretendo ir em fevereiro ficarei na Argentina alguns dias, queria saber se tem alguma empresa de ônibus ou van até lá ? Obrigada.

  8. Show!!! Demais… estou me planejando para ir em Abril/2018 – estou pensando ir ate o chile e de lá ir para os lugares onde vc citou no post… acha que consigo economizar assim? em media gastou quanto nessa viagem ? Att

    • Faaala Jean, tudo bem?

      Bacana! Em abril já passou a altíssima temporada, então os hotéis e passeios devem estar mais em conta!

      Cara, como faz tempo que fiz essa trip e na época não tinha o blog, não me atentei em anotar!
      Além disso também fui pra outros lugares e desde então já tem uma baita inflação acumulada! hehehe

      Abraço!

  9. Opa, amei as dicas!
    Sou louca pra conhecer a Patagônia, mas tenho um medinho pelo o que você disse no primeiro item, que é um destino caro! haha! Doida que sou por trilhas eu iria querer fazer todos os passeios. Ai quebra, né? Mas é bom saber que novembro e março os preços sobem, porque assim fugo dessas datas! haha!
    Curti também as dicas de destino, babo muito nesses lugares que você citou!

  10. Fantástico, era tudo que eu precisava. Estou pensando ir às Patagônias Chilena e Argentina e ainda a região dos lagos chilena. Só não consegui decifrar se será melhor ir por Buenos Aires e retornando por Santiago ou vice versa. Seria de 13/12/17 a 07/01/18. Tens alguma ideia?

    • Oi Conceição, tudo bem?!

      Que bom que gostou das dicas!
      Acredito que não tenha tanta diferença na logística, o que deve contar mais é a diferença de preço nas passagens (caso tenha)…hahah

      Eu fui e voltei por Buenos Aires pois meu roteiro foi basicamente pela Argentina, e comprei a passagem em uma promoção!

      Abraço!

  11. Nossa, que otimo todas essas dicas. Tenho muita vontade de conhecer a Patagonia. Estava pensando em ir em janeiro mas depois de ver os custos dos passeios desisti.
    Agora já consigo me programar melhor.
    Obrigado por compartilhar

  12. Dicas ótimas, Murilo. Eu fui picada pela mosca patagônica na minha primeira vez lá, em 2003. Engravidei por lá, sei lá se é isso que me faz ficar tão intrinsecamente apaixonada pelo lugar. Quando voltei a Calafate e Chaltén com meus filhos em 2012, a emoção foi indescritível. Por mim, eu voltava todo ano. Descobri meu lugar na Terra kkkk. Muito boas suas dicas!

  13. * Para evitar comentários spans (falsos), solicitamos que ao deixar sua mensagem você também preencha um campo com seu nome e e-mail.
    Mas não se preocupe, pois estas informações estão seguras e seu e-mail não será exibido e nem compartilhado com outras pessoas!
    Para mais informações clique aqui para ler a nossa Política de Privacidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here