O que fazer em Santiago, no Chile: Descubra quais são as principais atrações, pontos turísticos, passeios, museus, lugares para conhecer, e como organizar tudo isso no seu roteiro de viagem!
Salve esta imagem no seu Pinterest!!!

Embora Valle Nevado, Cajón del Maipo e Valparaíso sejam grandes atrativos para um bate-volta desde a capital chilena, há muito mais o que fazer em Santiago.

Seja durante o verão, outono, inverno ou primavera, a maior cidade do Chile está cheia de atrações capazes de preencher um roteiro de pelo menos três dias.

Parques, museus, mirantes, vinícolas, centros culturais, prédios históricos, mercados e cantinhos pitorescos pra viajante nenhum botar defeito – tudo isso pode fazer parte do seu dia a dia durante as suas férias.

Como nem sempre temos tempo para conhecer tudo o que um destino tem para nos oferecer, neste texto eu vou reunir tudo o que eu mais gostei de fazer em Santiago.

 Tenho certeza que depois de ler este texto atentamente até o final, você já terá uma boa ideia de quais são os programas que fazem mais o seu estilo e que você não pode deixar de fora do seu itinerário.

Leia também: 10 hotéis baratos em Santiago, no Chile

# Principais passeios e atrações em Santiago

1- Free Walking Tour
2- Museo de la Memoria y los Derechos Humanos
3- Museo de Arte Precolombino
4- Palacio de la Moneda
5- Cerro Santa Lucia
6- Cerro San Cristóbal | Parque Metropolitano
7- La Chascona
8- Sky Costanera
9- Vínicolas
10- Cajón del Maipo e Embalse El Yeso
11- Valparaíso e Viña del Mar
12- Valle Nevado e Farellones
13- Grafite e agito no bairro Bellavista
14- Terremoto do La Piojera
15- Mercado Central

1- Free Walking Tour

Para mim, uma das melhores maneiras de começar uma visita a uma grande cidade é através de um Free Walking Tour. Afinal, este passeio costuma passar pelas principais atrações, me dá uma noção geográfica e histórica do local, e ainda costuma ser bastante divertido.

O tour funciona no esquema de contribuição voluntária. Ou seja, embora não tenha um preço fixo, espera-se que no final da atividade cada participante colabore com o quanto achar que valeu. Em Santiago, as pessoas costumam colaborar com aproximadamente CLP 5.000,00 (R$ 30,00).

Fiz o passeio com o pessoal da Strawberry Tours que já estão instalados em diversas cidades do mundo. Em Santiago há três roteiros diferentes: Centro Histórico, Tour pelos Mercados e Tour Santiago de Sempre – este último por um bairro mais alternativo da cidade.

Há grupos em espanhol e em inglês. Para um controle mais adequado dos tamanhos do grupo e de quantos guias eles irão precisar, o ideal é que você já faça sua reserva através do site oficial da Strawberry Tours. Ainda sim, mesmo sem este pré-cadastro você consegue participar da atividade apenas comparecendo no ponto de encontro na hora marcada.

O tour pelo Centro Histórico, que foi o único que fiz, passa pelas seguintes atrações: Centro Cultural Gabriela Mistral, Barrio Lastarria, Cerro Santa Lucia, Paseo Bandera, Teatro Municipal, Palacio de la Moneda, Plaza de Armas e alguns outros prédios históricos.

Este passeio acontece diariamente às 10h30 e dura cerca de três horas. O inicio é na estação de metrô Universidad Católica, em frente ao Centro Cultural Gabriela Mistral – mas do outro lado da avenida.

free walking tour em Santiago
Plaza de Armas, o local onde termina o Free Walking Tour no Centro Histórico de Santiago!

Leia também: 15 dicas valiosas para sua viagem a Santiago, no Chile

2- Museo de la Memoria y los Derechos Humanos

Se eu tivesse que escolher uma única coisa para fazer em Santiago, provavelmente escolheria visitar o Museo de la Memoria y los Derechos Humanos – o museu que eu mais gostei na capital do Chile e um dos melhores que já visitei na vida.

Além de estar instalado num prédio que apenas a arquitetura por si só já valeria a visita, o Museu da Memória e dos Direito Humanos tem um acervo impecável que consegue nos contar nos mínimos detalhes como foi a Ditadura Militar no Chile.

Como não poderia deixar de ser, as narrativas ainda contemplam o cenário daquela época em toda a América Latina.

Sem dúvida o museu alcança seu objetivo com maestria: não deixar as pessoas se esquecerem desse trágico passado, e fazer com que elas reflitam sobre isso.

Pra facilitar a vida do viajante, o museu fica ao lado da estação de metrô Quinta Normal (linha verde) e a entrada é gratuita. O museu fica aberto de terça a domingo, das 10hs às 18hs.

Museo de la Memoria y los Derechos Humanos
Museo de la Memoria y los Derechos Humanos

3- Museo de Arte Precolombino

Pertinho da Plaza de Armas no centro de Santiago, o Museo de Arte Precolombino foi o meu segundo favorito. E, o motivo, é que como poucos museus ele consegue reunir um acervo histórico e artístico de altíssima qualidade.

Reunindo desde artefatos utilizados pelas pessoas no dia a dia – há mais de 4.500 anos – a esculturas enormes que foram construídas por diversos motivos (principalmente religioso), o museu se divide com duas exposições fixas e outras tantas temporárias.

As duas exibições que podem ser visitadas em qualquer época são a “América Precolombina em el Arte”, que nos leva a uma viagem pela história de toda América Latina; e a “Chile antes de Chile”, que foca nas diferenças culturais do próprio país.

O museu funciona de terça a domingo, das 10hs às 18hs. A entrada inteira custa CLP 7.000,00 (R$ 42,00) e estudantes pagam metade deste valor.

É possível ainda fazer uma visita guiada sem nenhum custo adicional que dura cerca de uma hora. Para participar é necessário fazer um agendamento para o dia e horários disponíveis através deste site.

Museo de Arte Precolombino
Museo de Arte Precolombino

Leia também: 7 museus em Santiago, no Chile (Os principais!)

4- Palacio de la Moneda

Sede do governo e local onde se deu inicio ao golpe militar chileno em 1973, o Palacio de la Moneda é um belo edifício, cheio de história, e que até hoje mantém suas funções governamentais.

Aos interessados, saiba que é possível ir muito além de apenas uma passadinha em frente ao edifício e fazer uma visita guiada pelo seu interior, mediante agendamento prévio.

Não menos importante, e talvez até mais interessante, vale incluir também uma visita ao Centro Cultural La Moneda, que fica no subsolo do mesmo edifício.

A entrada é gratuita e você encontrará diversas exposições relacionadas ao meio áudio visual. Funciona diariamente das 9h30 às 19h30.

Palacio de la Moneda
Palacio de la Moneda

5- Cerro Santa Lucia

Outra dica clássica do que fazer em Santiago, mas nem por isso menos válida, é conhecer o parque Cerro de Santa Lucia, que fica na região central ao lado do Bairro Lastarria.

Além de ser uma agradável área verde com alguns prédios históricos, o local ainda oferece áreas de descanso, jardins bem cuidados e uma vista bacana do centro de Santiago.

Vá animado para caminhar um pouco e subir alguns lances de escada. Nada exagerado, mas vale lembrar de que se trata de um cerro.

Cerro Santa Lucia em Santiago
Uma das vistas do Cerro Santa Lucia

Leia também: Quanto custa viajar para Santiago, no Chile? (Preços!)

6- Cerro San Cristóbal | Parque Metropolitano

Muito mais do que apenas um parque para caminhar em meio à natureza, o Cerro San Cristóbal, que fica no Parque Metropolitano, é um dos lugares com a melhor vista de Santiago.

Além disso, o passeio até lá garante uma subida com um trenzinho funicular e descida de teleférico – ou vice versa, dependendo de qual entrada e saída você utilizar.

Caso entre pelo Bairro Bellavista a subida é de funicular. Neste caso, dá pra aproveitar todo o parque e depois descer de teleférico, cujo o ponto de desembarque fica não muito distante do Sky Costanera.

Vale a pena reservar no mínimo três horas para este passeio, pois o parque é enorme e cheio de praças, jardins e lugares bacanas para caminhar.

A entrada ao parque é gratuita, mas você paga o meio de transporte que utilizará – funicular e/ou teleférico. A combinação mais cara fica em CLP 6.000,00 (R$ 35,00), que é para adultos aos finais de semana. Mas durante a semana, por exemplo, um trecho de funicular e outro de teleférico sai por CLP 3.500,00 (R$ 21,00).

roteiro de viagem em Santiago
Teleférico do Cerro San Cristóbal

Leia também: 7 parques em Santiago, no Chile

7- La Chascona

Localizada no bairro Bellavista e pertinho da entrada do Parque Metropolitano, La Chascona é uma das casas-museus do poeta chileno Pablo Neruda – vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 1.971.

O nome da casa é em referência ao seu amor secreto daquela época, Matilde Urrutia, que era chamada de La Chascona pelo poeta por conta do seu cabelo ruivo.

Além de poder visualizar a decoração da casa e entender parte da história da vida de Neruda, o museu possui um sistema de áudio-guia que torna a visita ainda mais prazerosa.

Funciona de terça a domingo, das 10hs às 18hs, e a entrada custa CLP 7.000,00 (R$ 42,00).

casa do Pablo Neruda em Santiago
La Chascona

8- Sky Costanera

Do alto de 300 metros de altura, o mirante Sky Costanera é uma atração relativamente nova da capital do Chile – foi inaugurado em 2015 – e que rapidamente tomou conta dos roteiros de viagem de Santiago.

O que é compreensível, pois a vista panorâmica de lá de cima mais parece uma pintura que contempla nada menos do que a Cordilheira dos Andes. Além disso, não é sempre que temos a oportunidade de visitar o prédio mais alto da América Latina.

Seria uma dica imperdível do que fazer em Santiago se não fossem dois inconvenientes: o preço e as condições climáticas.

O acesso ao mirante, que é através do Shopping Center Costanera, custa a bagatela de CLP 15.000 (R$ 90,00) para adultos e CLP 10.000 (R$ 60,00) para crianças com idade entre quatro e doze anos – um valor que de fato pode pesar nos orçamentos mais enxutos ou para quem viaja numa numerosa família.

Não se pode esquecer também que as condições climáticas nem sempre ajudam para um vista limpa e do tipo “uaaau”. Por isso, antes de ir até lá é bom dar aquela olhada na previsão do tempo. No próprio site do Sky Costanera eles informam como está a situação da visibilidade em tempo real.

Como gosto de mirantes e peguei tempo bom, para mim o investimento valeu cada centavo. Porém, há pessoas que acabam se decepcionando por conta da vista embaçada que pegaram.

A dica pra ter um visual de encher os olhos é ir no final da tarde e acompanhar o entardecer lá de cima, com um espetáculo dos raios solares em tons alaranjados.

Sky Costanera em Santiago - dicas
Vista do Sky Costanera

9- Vinícolas

Possivelmente o clichê mais irresistível sobre o que fazer em Santiago, visitar uma (ou várias) vinícola faz parte da programação da maioria dos viajantes.

Há vários lugares onde você pode fazer um tour que inclui degustação de vinho. Muitos, inclusive, ficam a menos de cinquenta quilômetros da capital e dá pra ir até com o transporte público.

Para quem não quer esquentar a cabeça gastando muito tempo na estrada, as vinícolas, Undurraga, Concha y Toro e Cousiño Macul podem ser visitadas em uma manhã ou tarde. É possível visitar até mesmo duas delas num único dia e por conta própria.

Para quem prefere investir em vinhos diferenciados, a Vinícola Santa Rita e a Vinícola Emiliana são as mais bem cotadas.

Em todas elas, porém, a dinâmica dos tours é bem parecida. Há duas modalidades de passeios, sendo que o tradicional garante degustação de quatro vinhos e custa em torno de CLP 15.000 (R$ 90.00); enquanto a visita premium incluí entre seis e oito provas e tem ainda alguns petiscos no final (CLP 25.000,00 | R$ 150,00).

O procedimento padrão é fazer o agendamento do seu tour através do site da vinícola para o dia e horário disponível, e efetuar o pagamento somente no local – no dia da visita.

Cousiño Macul

Minha experiência foi na Vinícola Cousiño Macul, uma das mais antigas de Santiago e das poucas que permaneceram com administração familiar.

Porém, os reais motivos que me levaram escolhe-la foram outros dois: está a menos de quinze quilômetros do centro de Santiago, e é uma das menos tumultuadas.

Sobre a visita, embora eu não seja um grande conhecedor de vinho para opinar sobre os seus produtos, achei todos que provei bem gostosos. A vinícola é super bem cuidada, bonita e os funcionários extremamente educados e atenciosos. Com certeza repetiria a experiência com eles.

Fui de ônibus e voltei de metrô. Porém, a estação de transporte sobre trilho mais próxima da vinícola – a estação Quilín – fica a dois quilômetros e meio de distância. Já o ônibus passa a uma quadra da entrada da Cousiño Macul.

melhores vinícolas em Santiago
Vinícola Cousiño Macul
Vinícola Cousiño Macul
Vinícola Cousiño Macul

10- Cajón del Maipo e Embalse El Yeso

Não faz muito tempo que uma lagoa com água azul cintilante rodeada por montanhas nevadas passou a fazer parte dos programas turísticos de Santiago.

Situada na região conhecida como Cajón del Maipo, a quase cem quilômetros da capital chilena, a represa Embalse El Yeso é responsável por 70% do abastecimento de água de Santiago. E, além disso, seu cenário sai realmente bem na foto durante o inverno.

Já fora da estação mais fria do ano, sem o encanto da neve, não achei o lugar super especial. É bonito, mas não teria feito tanta questão de conhecê-lo se soubesse que sem o gelo branco sobre as montanhas ele não teria tanta graça.

Talvez, para o passeio ser mais divertido e valer a pena nos meses sem neve, seja melhor fazer o tour que inclui ainda as Termas de Colina, onde você poderá curtir uma piscina com águas termais.

O passeio somente para Embalse El Yeso custa na faixa de CLP 35.000,00 (R$ 206,00). Já o que também vai para as termas sai por aproximadamente CLP 60.000 (R$ 353,00)

passeio Cajón del Maipo e Embalse El Yeso em Santiago
Embalse El Yeso                           

Leia também: Seguro viagem para o Chile | Dicas Indispensáveis

11- Valparaíso e Viña del Mar

Localizadas no litoral chileno a 120 quilômetros de Santiago, Valparaíso e Viña del Mar formam um dos passeios bate-volta mais famosos desde a capital do Chile.

A verdade, porém, é que viajar neste esquema te dará apenas uma ideia do que cada cidade tem pra oferecer.

É aquela coisa: ambos destinos são melhores aproveitados com mais tempo, pernoitando ao menos duas noites na região. Afinal, dessa forma você consegue aproveitar os entardeceres e noites das duas cidades. Um final de semana por aqui seria o ideal.

No entanto, para os viajantes que não têm este tempo disponível, o passeio de um dia cobre as principais atrações turísticas de cada uma delas – mas não sem correria.

Apesar de já ter tido um dos portos mais importantes da América Latina, a graça de Valparaíso não é o mar, mas sim, seu astral animado com ruas grafitadas e casinhas coloridas.

Já em Viña del Mar sim, a grande atração são as praias do Pacífico. Embora sempre geladas, a paisagem é bonita e rende um passeio agradável mesmo sem entrar no mar.

Caso queira conhecer as duas cidades em um dia a melhor alternativa é se juntar num tour que sai de Santiago cedinho e volta no fim do dia. Diversas agências oferecem este passeio e cobram em média CLP 35.000,00 (R$ 206,00).

melhores passeios em Santiago
Valparaíso

12- Valle Nevado e Farellones

Essa dica do que fazer em Santiago é válida apenas para quem for viajar durante a neve e fizer questão de enfim conhecer a neve.

Desde a capital do Chile é possível fazer passeio no esquema bate volta para as estações de esqui mais famosas das redondezas: Valle Nevado e Farellones.

Ambas estão a menos de duas horas de Santiago, possuem excelente estrutura, aulas de esqui, aluguel de equipamentos e tudo o que você precisar para sua aventura na neve.

A principal diferença entre as duas é que em Farellones há mais brincadeiras além do esqui convencional. Ou seja, quem não manja dos paranauês na neve, provavelmente se diverte mais por aqui. Além disso, o preço é mais em conta do que no Valle Nevado.

O ideal é reservar ao menos um dia para cada centro de atividade na neve.

13- Grafite e agito no bairro Bellavista

Descolado, movimentado e cheios de lugares bacanas, o bairro Bellavista não é apenas um dos melhores bairros para se hospedar em Santiago, como também é a melhor região para quem gosta de aproveitar a noite.

Uma caminhada pela Rua Pío Nono e seus arredores depois das 18hs certamente te deixará empolgado com a diversidade de bares, restaurantes e até mesmo casas noturnas para os mais festeiros.

Durante a tarde uma volta pelo bairro continua valendo a pena. Neste caso, porém, um bate perna perfeito para quem gosta de arte de rua e paredes grafitadas.

arte de rua em Santiago
As ruas do bairro Bellavista são todas coloridas
bares para conhecer em Santiago
Bares no bairro Bellavista

14- Terremoto do La Piojera

Para bons drinks no final do dia, mais especificamente o adocicado Terremoto – bebida típica no Chile que mistura vinho branco, sorvete de abacaxi, fernet e granadina – o boteco La Piojera é uma escolha certeira.

Pertinho do Mercado Central, com uma entrada estreita que te faz duvidar se está no lugar certo, o La Piojera é um dos bares mais tradicionais da cidade.

Além do clássico coquetel que é o pedido mais feito no bar, você pode aproveitar pra tomar cerveja, beliscar uma porção ou pedir ainda um lanche de pernil.

Com um nome que faz jus as instalações – La Piojera quer dizer A Espelunca – o bar recebe de turistas estrangeiros a jovens chilenos que saem do serviço e querem uma hora feliz, a clientes que aparentam frequentar o local desde a sua inauguração, no ano de 1.896, tamanha é a intimidade deles com os garçons!

Sobre os preços, a bebida chefe da casa, o tal do Terremoto, custa CLP 2.700,00 (R$ 16,00).

melhor terremoto em Santiago
Terremoto do bar La Piojera

15- Mercado Central

Tá aí uma coisa para fazer em Santiago que não é pra todo mundo. Inclusive, nem achei o Mercado Central de Santiago tão legal assim, mas decidi incluir nesta lista porque muitos viajantes gostam de visitar mercados durante as suas viagens.

Com uma boa praça de alimentação onde quem reina na mesa são os frutos do mar, dá pra comer no mercado de Santiago gastando o padrão de outros lugares ou investindo pequenas fortunas – como algo entre R$ 250,00 e R$ 500,00 no prato de centolla, uma espécie de caranguejo gigante. Tudo vai depender do prato que pedir e de quão arrumado é o restaurante que você fará a sua refeição.

No mais, espere encontrar diversos tipos de peixe, corredores tumultuados e vendedores te abordando a todo o momento.

Leia também: 10 lugares baratos para comer em Santiago

# Roteiro de viagem para 5 dias Santiago

Para facilitar a logística do seu dia a dia, deixo abaixo como você pode organizar as atrações de Santiago no seu roteiro, levando em consideração a proximidade dos lugares a serem visitados.

No entanto, sinta-se a vontade para fazer as mudanças que achar necessário para atender os seus gostos e estilo.

» Dia 1: Free Walking Tour, Museo de Arte Precolombino, Museo de la Memoria y los Derechos Humanos. No fim do dia volte ao centro para provar o Terremoto do bar La Piojera.

*** Lembre-se que os museus estão fechados às segundas-feiras.

» Dia 2: La Chascona, Cerro San Cristóbal, Mirante do Sky Costanera e noite no bairro Bellavista.

*** Lembre-se que La Chascona e o teleférico do Cerro San Cristóbal estão fechados às segundas-feiras.

» Dia 3: Bate-volta Valparaíso e Viña del Mar (dia inteiro).

» Dia 4: Bate-volta Cajon del Maipo e Embalse El Yeso (dia inteiro).

» Dia 5: Vinícola de manhã e tarde livre. Sugestão para tarde: Mercado Central e Centro Cultural La Moneda.

» Se sua viagem for durante o inverno, acrescente mais um ou dois dias para atividades na neve. Dá pra ir um dia ao Valle Nevado e no outro a Farellones.

» Durante o Free Walking tour você já passará por algumas atrações do centro de Santiago, como o Palacio de la Moneda, Cerrro Santa Lucia e Barrio Lastarria. Mas todos esses lugares podem render uma visita mais tranquila num outro momento, já que durante o tour as paradas não duram mais do que quinze minutos.

dicas de lugares para conhecer em Santiago
O prédio da direita é o Sky Costanera

+ Dicas do que fazer em Santiago

Além destas quinze dicas de passeios e lugares para conhecer em Santiago, há ouras atrações que você pode incluir no seu roteiro dependendo do seu perfil de viajante.

Quem gosta de parque e espaços públicos, vale conhecer o Parque Araucano, Parque Bicentenário, Parque Florestal e o Parque Quinta Normal.

Aliás, o Parque Quinta Normal fica ao lado do Museo de la Memoria y los Derechos Humanos e dentro do parque ainda está o Museu Nacional de História Natural – todos com entrada gratuita.

Por falar em museu, os roteiros mais culturais podem incluir ainda o Centro Cultural Gabriela Mistral e o Museu de Bellas Artes.

E você, tem mais dicas do que fazer em Santiago? Me conta aí nos comentários! 🙂

3 lugares para se hospedar em Santiago

($) Para os viajantes que procuram um albergue, o Hostal Providencia foi onde eu me hospedei e recomendo de olhos fechados.

($$) Quem faz questão de privacidade, mas não quer gastar uma fortuna, o De Blasis B&B tem um ótimo custo-benefício.

($$$) Podendo investir um pouco mais, o quatro estrelas Hotel Diego de Almagro Providencia é um dos queridinhos entre os brasileiros.

» Se preferir, clique aqui e confira outras ofertas de hospedagem em Santiago.

Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

12 COMENTÁRIOS

    • Faaala Fabricio, tudo bem?

      Que bacana! Consegui aproveitar bastante! Porém, como não poderia deixar de ser, faltou coisa no meu roteiro! hehehe

      Abraço

  1. Santiago é maravilhoso né, eu amei também. Cada lugarzinho da vontade até de morar! eu adoraria e já recebi alguns convites até para morar mas não tive coragem rs.
    Já estou querendo voltar!!!

    • Heeey Nange, tudo bem?

      Santiago me surpreendeu demais!
      É um super motivo, hein?! O Museo de la Memoria é daqueles que todo mundo deveria visitar! hehehe

      Abraço!

  2. Olá, Murilo. Estive em Santiago e arredores e visitei o Museu da Marinha em Valparaíso, onde se pode ver ( e entrar) uma das cápsulas projetadas para o resgate dos mineiros chilenos. Muito legal! Sai da programação turística, mas é muito legal! Voltarei ao Chile em outubro/2019 com mais alguns parentes que não puderam ir na minha primeira viagem. Obrigada por mais dicas!

  3. * Para evitar comentários spans (falsos), solicitamos que ao deixar sua mensagem você também preencha um campo com seu nome e e-mail.
    Mas não se preocupe, pois estas informações estão seguras e seu e-mail não será exibido e nem compartilhado com outras pessoas!
    Para mais informações clique aqui para ler a nossa Política de Privacidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here