Passeio pelo Salar de Tara, no Deserto do Atacama (Chile): Descubra como é o tour, quais lugares você irá conhecer, quanto tempo dura, quanto custa e se, de fato, vale a pena inclui-lo no seu roteiro!
Salve esta imagem no seu Pinterest!!!

Passeios na altitude não são raros no Deserto do Atacama. E, um dos tours que te deixará ainda mais distante do nível do mar, é a aventura pelo Salar de Tara.

Embora não seja o programa mais concorrido do deserto, foi neste dia que vi a maior quantidade de paisagens impressionantes pelo território atacamenho – talvez, empatando com o dia em que conheci as Lagunas Altiplânicas (estas sim lugares super visitados por aqui!).

Logo, por conta dos diversos cenários que visitamos que parecem terem sido pintados a mão, considero o passeio pelo Salar de Tara um dos mais imperdíveis do deserto.

Se você ainda tem dúvidas se deve ou não inclui-lo no seu roteiro de viagem, acredito que depois de ler este texto terá se convencido de que, dar uma chance a essa trip, certamente será uma boa ideia. E, para que você possa se planejar adequadamente, irei te contar com detalhes como foi a minha experiência.

Leia também: 10 coisas que você não pode deixar de fazer no Atacama

# Como é o passeio pelo Salar de Tara?

Seguindo as recomendações do pessoal da Fui Gostei Trips – agência que fiz todos os meus passeios no Deserto do Atacama – deixei o passeio para o Salar de Tara para o final da viagem.

Por conta da altitude a que chegamos em pouco tempo de deslocamento – cerca de 4.500 metros acima do nível do mar – o mais adequado é fazer este tour quando já estamos aclimatados com a altura.

Dessa forma, não tive nenhum problema durante o passeio, que começou por volta das 8hs e terminou às 15h30.

Vulcão Licancabur

O passeio pelo Salar de Tara segue em direção à fronteira com a Bolívia e a Argentina. E, no caminho da primeira parada, já tivemos uma boa surpresa, pois percebemos que também estávamos indo em direção ao imponente Vulcão Licancabur.

Onipresente na paisagem atacamenha, o Vulcão Licancabur acompanha os viajantes por praticamente qualquer canto do deserto. Normalmente, porém, avistamos seu cume – que chega a 5.916 metros – láááá de longe.

Durante o passeio para o Salar de Tara tivemos a oportunidade de chegar mais perto dele. Inclusive, a primeira parada do passeio é num lugar de onde se tem uma bela vista do Vulcão do Povo – significado de Licancabur na língua kunza, o idioma falado pelos povos nativos atacamenhos conhecidos como likan-antai.

Se hoje o Licancabur estampa diversos cartões postais do Atacama, há cerca de onze mil anos ele guiava geograficamente o povo likan-antai. Afinal, avistado de muitos lugares, ele funcionava como excelente referência para os nômades daquela época. 

mirante Vulcão Licancabur
Vulcão Licancabur

Bofedal de Quepiaco (+ Café da Manhã)

Depois de quinze minutos tirando fotos e ouvindo histórias sobre o Licancabur, pegamos a estrada por mais meia hora até chegarmos na região conhecida como Bofedal de Quepiaco.

Além do visual pra lá de fotogênico, a parada por aqui também é estratégica, pois é onde foi servido o nosso café da manhã que está incluído no passeio. Note, porém, que tomamos café por volta das 10h30. Portanto, recomendo que você coma alguma coisa leve antes de sair do seu hotel.

Por cerca de trinta minutos curtimos a paisagem e tomamos um café caprichado, que incluiu pão, queijo, presunto, tomate, guacamole, bolo, bolacha, geleia, café e leite em pó.

Devidamente alimentados e com a bexiga vazia, levantamos acampamento e partimos para as próximas atrações do dia.

*** Não há banheiro em nenhum momento durante o passeio pelo Salar de Tara. Tem que aproveitar as paradas e fazer o que tiver que fazer ao relento mesmo, no bom e velho Baño Inca (atrás de alguma pedra, quando tiver pedra!).

Bofedal de Quepiaco no Atacama - Chile
Bofedal de Quepiaco

Catedrales e Monje de la Pacana

Cerca de trinta minutos por um trecho sinuoso da estrada, e chegamos a uma parte da Reserva Nacional los Flemencos, onde se encontram as Catedrales e o majestoso Monje de la Pacana.

Toda essa região trata-se de uma zona vulcânica, que tem nada mais e nada menos do que 65 quilômetros de extensão por 35 quilômetros de largura. Ou seja, estamos numa das maiores crateras vulcânicas do mundo – mais especificamente a quinta maior.

Por causa das incontáveis ações geológicas que já aconteceram por estas bandas, juntamente com a força do vento, água e outras condições climáticas, atualmente encontramos curiosas e imponentes formações rochosas.

Por aproximadamente cinquenta minutos intercalamos curtas caminhadas com deslocamentos de carro, para conhecer estas formações pitorescas do Deserto do Atacama.

Catedrales no Deserto do Atacama
Catedrales
Monje de la Pacana - Deserto do Atacama
Monje de la Pacana

Salar de Tara

Por fim, mas não por último, chegamos ao mirante na estrada de onde se vê o Salar de Tara. Atualmente, parte do salar não está acessível. Por conta disso, o mais próximo que os passeios estão chegando é a um local de onde se tem uma vista privilegiada deste cenário. Se isso atrapalha o passeio? Nem um pouco.

É claro que não sei exatamente como era a experiência de antes. Porém, a que tive, tanto na parada do Salar de Tara propriamente dita, como em todas as outras, fez com que esse passeio fosse um dos mais especiais no Atacama.

Além disso, quem ainda não conseguiu tirar aquela famosa foto no meio da estrada, aqui há uma oportunidade. Além da bela paisagem, praticamente não há movimento de carros e, os poucos que passam por esta região, podem ser identificados de longe. Porém, é claro, quando for tirar sua foto sempre tenha duas pessoas atentas ao trânsito para avisarem quando algum veículo estiver a caminho.

tour pelo Salar de Tara no Atacama
Salar de Tara
fotos Salar de Tara
Uma das versões da foto no meio da estrada!

Laguna Negra, Salar de Quisquiro e Laguna Diamante

Embora o Salar de Tara dê nome ao passeio, ele não é o último local a ser visitado, e também, diria que não é o protagonista maior do tour. Na verdade, essa aventura passa por tantas paisagens de tirar o fôlego, que é difícil eleger o cenário mais bonito – ao menos eu não me atrevo!

Depois de deixarmos o Salar de Tara para trás, fomos em direção as duas últimas atrações do passeio: Laguna Negra e Salar de Quisquiro.

Com microalgas que dão cor a lagoa, a Laguna Negra chama a atenção ainda por conta dos seus cristais de sal às margens da água, o que deixa a paisagem ainda mais linda.

Laguna Negra no Deserto do Atacama
Laguna Negra
Laguna Negra - Passeio Salar de Tara
Laguna Negra

Já muito próximo da fronteira com a Argentina, quem rende uma parada com direito a muitas fotos é o Salar de Quisquiro – um belo lugar para o quase encerramento do passeio.

Salar de Quisquiro Deserto do Atacama
Salar de Quisquiro

Digo quase pois, a parada derradeira do passeio pelo Salar de Tara foi na Laguna Diamante. Já havíamos passado com a van em frente a tal laguna quando estávamos no meio do tour. Porém, como era muito cedo e o sol não estava com a sua potência máxima, o guia preferiu deixar a parada para a volta – quando a claridade natural deixaria a cor da lagoa ainda mais bonita. 

Laguna Diamante Atacama
Laguna Diamante

Almoço

Além do café da manhã, a Fui Gostei Trips inclui almoço no seu passeio pelo Salar de Tara. A refeição, no entanto, é feita num restaurante de San Pedro do Atacama, depois de terminarmos o tour. Afinal, durante todo o caminho do passeio não há absolutamente nenhum tipo de estrutura na estrada.

Almoçamos no restaurante Peru Pachacute, e pudemos escolher uma entrada e um prato principal com acompanhamentos. Fui de ceviche, arroz, batata assada e bisteca: tudo simples e delicioso.

Chegamos em San Pedro do Atacama por volta das 15h30, e depois dos pedidos feitos, começamos a almoçar aproximadamente às 16hs. Ou seja, mais do que em qualquer outro passeio, é conveniente levar alguns lanchinhos para comer durante o tour para o Salar de Tara.

Salar de Tara - dicas para o tour
Entrada de Ceviche: deliciosamente bem apimentado! (Quem não gosta de pratos ardidos certamente não comeria a porção inteira!)

Leia também: 11 dicas valiosas para sua viagem ao Deserto do Atacama

+ Dicas para não se dar mal!

» Durante alguns momentos do passeio pelo Salar de Tara a altitude passa dos 4.500 metros acima do nível do mar. Portanto, deixe para fazer este tour no final da viagem quando já estará melhor aclimatado.

» Mesmo com o sol brilhando, em certos lugares venta tanto que você passará frio caso não esteja devidamente agasalhado. Ouça os avisos da sua mãe e capriche nas roupas de frio. (Mas também saiba que em certos momentos passará calor!)

» Não há nenhum banheiro durante o passeio do Salar de Tara. O que não significa que você não possa se aliviar atrás de alguma pedra ou no local mais reservado que encontrar durante o caminho.

» Os horários das refeições que são servidas durante o passeio provavelmente não serão as mesmas que você está acostumado. Mais do que em qualquer outro passeio do Atacama, leve alguns lanchinhos na mochila.

Leve e beba bastante água também, pois isso ajudará positivamente nos efeitos da altitude.

Sim, viajar pelo deserto é isso: um eterno dilema entre se manter e hidratado e depois ficar com vontade de ir ao banheiro. Beba água mesmo assim!

» O passeio pelo Salar de Tara ocupa um dia inteiro, com saída às 8hs e regresso a San Pedro do Atacama por volta das 16hs.

» Preço do passeio com a Fui Gostei Trips: CLP 55.000,00 (aproximadamente R$ 323,00). Neste valor está incluído transporte, serviço de guia, café da manhã e almoço.

Nem todas as agências incluem as refeições no passeio. Portanto, verifique antes de contratar o seu tour para não ter nenhuma surpresa desagradável.

» Diferente dos demais passeios no Atacama, para a alegria geral dos viajantes neste tour não é cobrada nenhuma taxa de entrada em parques. (Ao menos não até maio/2019)

Outros passeios que fiz com a Fui Gostei Trips

» Lagunas Escondidas + Ônibus do Deserto: O passeio mais fotogênico do Atacama!

» Lagunas Altiplânicas e Piedras Rojas: Um passeio indispensável no Atacama!

» Tour Astronômico no Atacama: Dicas indispensáveis

» Valle del Arco Iris: Um passeio surpreendente no Atacama!

» Valle de la Luna e Valle de la Muerte: Um passeio clássico no Atacama!

» Passeio de bicicleta no Atacama: Fugindo do óbvio e das multidões!

» Termas de Puritama, no Atacama: Relaxando no deserto!

» Laguna Cejar: Boiando em águas hiper salgada no Atacama!

» Geysers El Tatio: O passeio mais gelado do Atacama!

» 10 principais passeios no Deserto do Atacama

*** A agência Fui Gostei Trips foi parceira do blog Volto Logo durante os passeios no Atacama, mas as opiniões aqui relatadas são livres e pessoais!

3 lugares para se hospedar em San Pedro do Atacama

($) Para os viajantes que procuram um albergue, o Hostal El Anexo tem jeitinho de pousada e me atendeu perfeitamente.

($$) Quem faz questão de privacidade mas não quer gastar uma fortuna, o Chalé Tehuelaike tem um ótimo custo-benefício e reputação invejável.

($$$) Podendo investir um pouco mais, vale conferir as suítes do Quechua Hotel.

» Se preferir, clique aqui e confira outras ofertas de hospedagem em San Pedro do Atacama.

Desde que comecei a viajar, em 2011, conhecer o mundo se tornou um dos meus objetivos de vida. Em 2014 deixei meu antigo emprego para realizar a minha primeira grande trip: 10 meses viajando e trabalhando pela América Latina. Desde então compartilho minhas experiências de viagem aqui no Volto Logo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here